terça-feira, 2 de junho de 2009

Hierarquia e Função. Da confusão ao Menáge à Trois

Recebi a notícia como todas as notícias importantes. No vão da escada, ou na ombreira da porta, à despedida, do tipo: Ah já me esquecia de lhe dizer, vamos arranjar uma pessoa para o ajudar. Duro como sou, disse logo: Excelente! E vem com vontade de trabalhar? Sim claro, mas vai ficar lá na sede. Claro que vai aí à fábrica quando for preciso...Deve ser o teletrabalho, pensei, mas não. Era mesmo verdade...
Agora que as bolachinhas e os docinhos se vendem como pão quente (do antigamente) é que vou ter alguém para me ajudar no dia-a-dia, e à distância... E qual é a formação académica, perguntei apesar de não me parecer, de forma alguma, relevante. Tinha o curso de Engenharia de Pasteleiro, o que vinha mesmo a calhar, pois assim poderia visitar os nossos fornecedores de creme, Bolas de Berlim e outros bolinhos congelados. Com certeza, e muito mais, é uma pessoa com muitas qualidades, percebi já junto ao carro do Mero (para usar a terminologia da XS). Ainda arrisquei um “não vai ser muito fácil articular, mas vai correr bem”. Sim com certeza porque, “apesar de depender hierarquicamente de si, vai depender funcionalmente de mim”. E aqui é que o Ti Al começou a ficar preocupado, com esta teia de relacionamentos. Quem vai colaborar com quem e quem vai reportar a quem?

Se em vez do Mero fosse uma Pescada do Chile, ficava tranquilo. Assim estou apreensivo. Revi rapidamente as combinações possíveis. Uma perigosa, a outra, impossível. Não gosto do MFM. Acho que pode resvalar com alguma facilidade para o MMF e isso não, cruzes!!!

Esperemos pela Sarda, para voltar ao assunto, mas entretanto vou já convocar uma manifestação a favor da diminuição dos riscos laborais, pelo aumento da segurança no trabalho: Por melhores condições de trabalho! Mulheres ao poder, já! Não aos hermafroditas! Abaixo os protogínicos !!!

Enfim, loucuras de Verão, espero eu...

5 comentários:

  1. No meio de todo este seu desabafo, revelador de uma certa preocupação com as respectivas posições.... na ligação hierárquica, vou confessar a minha ignorância o que é um protogínico?

    ResponderEliminar
  2. "Em biologia, chamam-se protogínicas as espécies em que os órgãos sexuais femininos são os primeiros a atingir a maturidade e tornarem-se activos. No processo de crescimento, as gónadas convertem-se em masculinas e tornam-se activas mais tarde.

    Este tipo de hermafroditismo incompleto verifica-se em muitas espécies de peixes, como as garoupas (meros).

    As espécies em que o sexo masculino é o primeiro a tornar-se activo, chamam-se protândricas."

    É a google a falar... Eu não percebo nada desses assuntos de mudanças de sexo!!!

    ResponderEliminar
  3. Não sou bióloga mas devia conhecer a palavra.
    Também não sou muito de ir ao Google, esqueço-me dessa cultura instantânea, continuo a consultar mais livros.
    Por isso o Mero me estava a "escapar" , neste caso podia dar vários sentidos que não alterava o contexto e não tive tempo de ir ao blogue que citou.
    Obrigada pelo esclarecimento! Faz sentido no contexto e dá-lhe força!Cautela muita cautela, nunca se sabe o que nos pode aparecer pela frente.
    LOL

    ResponderEliminar
  4. Também tenho um tio no Algarve, mas nunca tive o privilégio de aprender com ele o que eram espécies protogínicas. Até porque tenho a certeza que esta informação me vai ser muito útil no futuro!

    Aproveito para concluir dizendo que há para aí umas quantas ménages muito perigosas ;)

    ResponderEliminar
  5. Olá Debbie! Obrigado pela tua visita...Lá no Algarve a especialidade é o peixe!
    E obrigado pelo conselho, vamos ver se o Menáge não acaba numa caldeirada (ou se acaba... ;)

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio