sexta-feira, 5 de junho de 2009

Do Menáge à Trois à orgia: A história de uma caldeirada anunciada.

Já tive oportunidade de ver a Sarda. Rico peixe. Deve ser muito saboroso, sobretudo assadinha em forno quente, recheada ou lardeada e revestida a miolo de amêndoa, em cama de espargos verdes, com um apontamento de compota de manga.
Estava quase aclimatada ao Aquário e o Tio habituado às novas vistas, quando surge novo elemento no cardume (espero que a XS me desculpe este plágio, mas a do Peixe Balão deixou marcas, profundas como se vê)…
Era um peixão bem vistoso, de cores vivas e garridas. Não tinha escamas, mas sim um revestimento suave que apetecia tocar. A plumagem no cimo da cabeça era abundante e loira. Antes de me aproximar demasiado, por sorte, encontrei uma manual de aquariofilia que tinha recebido na entrada da adolescência. Com saudade desses tempos abri-o e, com mais sorte ainda, logo na página onde aparecia uma Caravela Portuguesa.

Percebi que era um peixe perigoso, mas o perigo sempre atraiu o Tio. O fruto, neste caso ainda proibido, é sempre o mais apetecido e a vontade de sentir a Caravela Portuguesa era cada vez maior. Era irresistível a vontade de a tocar, de nadar entre os seus tentáculos. Mas como?
A solução foi expedita: Umas luvas de latex. A sensação não é a mesma, mas há umas mais finas que, com segurança, nos dão a sensação muito aproximada do contacto sem elas e, vantagem adicional, ainda há o fetiche das luvas...

E para os tentáculos? O melhor era um fato de caça submarina, mesmo. Ou... melhor ainda, vestir um, de latex, à Caravela...Aposto que lhe ficava a matar e também se matava outra fantasia...

A vida no aquário está a ficar interessante. Será que resisto mais tempo?

5 comentários:

  1. Interessantíssima!!!!
    Que pena não se poder pôr aqui uma série de utensílios ( de culinária) que costumo usar quando vou à pesca e quando, com o peixe pescado, penso fazer uma caldeirada.
    Cuidado conheço casos de afogamentos em aquários.
    Quem me avisa minha amiga é!

    ResponderEliminar
  2. Olá Maria Teresa,
    Aceitam-se ideias sobre utensílios a usar...Algemas para prender algum peixe masi difícil?
    Quanto aos afogamentos, obrigado pelo aviso. Vou passar a ter mais cuidado!

    ResponderEliminar
  3. Algemas? Coisa vulgar, mais vulgaríssima!
    Fio dental quase invisível, os peixes têm uma acuidade visual muito apurada, com um isco muito discreto, para eles não descodificarem de imediato, podem assustar-se e fugir e então lá se ia a matéria prima para a caldeirada.
    E a ménage (=casa, família, economia) seria gravemente afectada.Quanto à orgia (=festa religiosa em honra dos deuses Dionísio ou Baco, consoante se sinta grego ou romano) faça-a sozinho (mais vale só do que mal acompanhado), ninguém o impede de comer e beber exageradamente.

    LOL

    ResponderEliminar
  4. Para mim é um grande orgulho ver que gostaste da minha alegoria.

    E cuidado com esse espécimen...

    Beijinhos :)

    ResponderEliminar
  5. Olá XS,
    Obrigado! De facto adorei a tua alegoria, que já teve continuação.

    Mas agora entornou-se mesmo a caldeirada...
    Bom S. João!

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio