quinta-feira, 27 de novembro de 2008

Hotel Manager

Usually I just post original matters, but I found this text and I believe I wouldn't say it better. So, to all my colleagues in this job, here it goes. In the end there is the link to the original text. I love this industry. I bet you too…

Enjoy, and let me know about it.

"A Day in the life of a Hotel Manager

A hotel manager oversees all of a hotel’s daily operations, from staffing to coordinating fresh-cut flowers for the lobby. Many, over time, are given long-term responsibility for negotiating contracts with vendors (such as maintenance supplies), negotiating leases with on-site shops, and physically upgrading the hotel. Hotel managers usually relish “the ability to put your own distinctive style on the [hotel] experience.” While managing a hotel and giving it your unique flair are wonderful, they come with full responsibility for failure. “The better you are at what you do, the more responsibilities you are given, the more chances you have to fail,” mentioned one hotel manager. When things fall apart, “no one is a hotel manager’s friend.” Hotel managers can feel great about their positions, create strong relationships with regular customers, and maintain an amicable working environment. But should the bottom line waver and financial woes occur, the first neck on the chopping block is the hotel manager’s. Those in the hotel management industry say that sometimes it seems that you need “to be born on the planet Krypton” to be a good hotel manager because only Superman could juggle the administrative, aesthetic, and financial decisions which constitute daily life on the job. Over 70 percent of the respondents said that “tired” was an understatement about how they felt at the end of the day (or night); “Exhausted is more like it,” wrote one, in shaky, spider-thin handwriting. A hotel manager’s position as a liaison between the ownership and the staff can be difficult and isolating. But those who can put up with the long hours, the high degree of responsibility, and the variety of tasks emerge with a solid degree of satisfaction and a desire to continue in the profession. The average tenure of a hotel manager is 6.7 years, though this figure doesn’t represent the number of managers who work for two years and those who work for decades. Many work at a variety of hotels, build up their resumes, and then find positions that allow them the freedom to operate their own establishments.

Paying Your Dues

Aspiring hotel managers used to begin at the reception desk, as part of the wait staff, or as members of the cleaning staff, then work their way up the ladder. As hotels have become more commercial properties and the duties of hotel managers have expanded, this avenue of advancement has closed off. Now hotel manager hopefuls go to hotel management school, and those who don’t should garner as much practical hotel experience as possible. Each chain or specific hotel puts new employees through their own training programs, so those applying for jobs should learn all they can about the scope and functioning of the specific hotels where they wish to work. Part of life as a hotel manager can be similar to the life of a doctor, as managers can be called to duty at any time of the day or night. Hotel managers must handle any and all emergencies, and those who wish to remain in the profession and maintain respect must be quick-thinking and decisive. Candidates should have a good organizational and financial background, excellent communication and interpersonal skills, and strong self-discipline. They should also be extremely detail-oriented; when running a hotel, there is no such thing as an unimportant detail. The good manager drives himself to improve and upgrade the hotel at every available opportunity."

This text is published in:

http://www.princetonreview.com/Careers.aspx?cid=77&uidbadge=%07

quarta-feira, 26 de novembro de 2008

Reveillon

“Uma década de alegria e prosperidade, também conhecida como a Era do Jazz. A era das inovações tecnológicas, da electricidade, onde estilistas como Coco Chanel e Jean Patou criavam modelos mais curtos leves e elegantes, para uma sociedade mais alegre e descontraída.”

Assim eram os anos vinte! E assim espero entrar em 2009.

Adivinhem onde …

terça-feira, 25 de novembro de 2008

O Desafio 2

A minha mania de subverter as situações já foi identificada... Bem, aqui vai uma outra possibilidade de responder ao seu desafio, minha cara JS:

Define-te a ti próprio: Watcher of the Skies
O que mais detestas que as pessoas falhem: Time Table
Uma frase que nunca diria para sair com alguém: Get 'Em Out by Friday
Labirinto de palavras, com música: "Can-Utility and the Coastliners"

Um nome que me faz sonhar: Horizons
O que mais detestava ouvir em pequeno: Supper's Ready
Um local que provavelmente não visitava: "Lover's Leap"
O que talvez não gostava de ser: The Guaranteed Eternal Sanctuary Man
O que te parece ter provocado a revolta no baixo Egipto: "Ikhnaton and Itsacon and Their Band of Merry Men"
Uma frase que nunca diria a mim próprio: "How Dare I Be So Beautiful?"
Um local para reler The Lord of the Rings, à sombra: "Willow Farm"
Descrição do meu fim do Mundo: Apocalypse in 9/8
Uma verdade de La Palice: "As Sure As Eggs Is Eggs"

Espero ter ultrapassado o desafio, desta vez...

sexta-feira, 21 de novembro de 2008

Caça e Pesca

Homem do mar também fui um dia à pesca. À pesca verdadeira, com cana e tudo. Acontece que a única coisa que consegui pescar foi a própria cana que tinha deixado cair ao mar, tal o frenesim da actividade. Anos mais tarde, nova experiência, desta vez no rio. Precisamente no Cávado, lá para o Norte, perto de Braga. A mesma actividade frenética. Claro que não foi nenhuma desilusão. As expectativas eram tão baixas, que não fiquei desiludido. Apenas confirmei uma não vocação. Decididamente. E não me falem em levar engodo para atirar ao rio, ou de anzóis ou de iscos, a menos que seja nalguma linguagem simbólica.

A caça é diferente. Não que goste mais, porque não gosto mesmo muito mais. Também não sinto a necessidade de me sentir mais poderoso por ter uma arma carregada. Gosto de atirar, mas contra alvos de papel (na falta deles podem ser moinhos). Parece-me é que a caça tem mais estratégia. E por isso me parece mais atraente. O desporto, porque o resto quem me lê já sabe: Atracção sedução são palavras que não digo muito, porque é desnecessário dizer. Vê-se.

Também tive algumas experiências de caça, em montes muito engraçadas e onde não cacei nada, a não ser um pequeno-almoço de febras rústicas, grelhadas rusticamente e deliciosas acompanhadas de um bom tintol de madrugada. Aquela parte do tiroteio no fim das batidas também tem a sua graça. É fartar de dar tiros!

Gosto mais da outra caça...Não gosto da perseguição ao animal ferido e moribundo. Gosto de um combate leal, onde cada um tem o seu papel. Falem-me de javalis e outros bichos do género e não de passarinhos e outros animais domésticos, tá bem? Nem sempre se consegue, mas quando se consegue sabe bem. Afinal ninguém gosta de coisas fáceis e eu menos ainda. Também se a dificuldade é muita ou se não há perspectivas de se conseguir, mais vale partir para outra caçada...

Por isso é que decididamente prefiro a caça à pesca. Parece-me que no segundo caso há demasiada passividade e nenhuma interacção. Na caça há interacção e cada uma das partes influencia decididamente o desfecho.

Acho que gosto mesmo é do desporto.
I love the sport, not the game...

quinta-feira, 20 de novembro de 2008

O Desafio

Pois fui desafiado pela minha amiga JS e resolvi aceitar. Há montes que não produzia uma posta de blog e sempre é um pretexto. Às vezes precisamos de pretextos…

Pois bem o disco que escolhi foi o Foxtrot dos velhinhos Genesis.

O desafio não inclui dizer porquê, mas ficam a saber:
Gosto imenso dos Genesis. Em particular este álbum, que até pelo nome me faz lembrar aquele ritmo que adoro dançar. Claro, claro, com a companhia certa todos os ritmos são bons mas o slow-fox ainda é melhor…

Como uma das músicas (Supper’s Ready), ocupava praticamente um lado do vinil original, supus que tinha menos músicas que todos os outros. Então menos músicas, menos perguntas. Menos perguntas, menos respostas…

A foto como não percebi se era a minha ou do álbum, vai a do álbum.
E as músicas/perguntas são estas, com um pequeno requinte de malvadez…Acabei por decidir usar as sete “subperguntas” desse super “medley”, o Supper’s Ready.
Afinal a minha vida também tem esses saltos e descontinuidades, mudanças de ritmo e tudo o resto!


Aqui vai:

"Watcher of the Skies" : Sim sonhar é bom e ao sol ainda melhor!
"Time Table":, Que remédio, lá terá que ser….
"Get 'Em Out by Friday" : Yes, viva o fim-de-semana! Toda a gente para os Hotéis, sff
"Can-Utility and the Coastliners": Hummm… Diplomacia? Imperador do Norte? Humildade.

"Horizons" : The Sky is the limit!
"Supper's Ready": I love it, late at night: "Walking across the sitting-room, I turn the television off. Sitting beside you, I look into your eyes...."
"Lover's Leap" Quem não gosta?
"The Guaranteed Eternal Sanctuary Man": Sim, posso garantir!
"Ikhnaton and Itsacon and Their Band of Merry Men": Quem resiste a este diálogo ritmico?
"How Dare I Be So Beautiful?": Boa Pergunta. Como é possível que te atrevas ?
"Willow Farm" : A flower?
"Apocalypse in 9/8: É onde estamos a chegar…
"As Sure As Eggs Is Eggs": Às vezes o que parece, é mesmo o que parece…


Bem ouçam o album sff e depois comentem. Obrigado.





sexta-feira, 14 de novembro de 2008

YES!!!!!!!!

Yes, I love this game!
Dare and win. Don't dare and maybe you loose or not, but you'll never win!
I won! I'm back again...
Thanks for all the support I received this days. It's good to be alive!

quarta-feira, 12 de novembro de 2008

Epitáfio

Hoje tinha decidido escrever o meu epitáfio. Indeciso entre operário e soldado da gestão, seria qualquer coisa do género:

Aqui jaz António Bernardo. Gestor, morreu a lutar pela causa em que sempre acreditou e pela qual combateu. Mesmo muito maltratado pelo inimigo, lutou até ao fim. Morreu num acidente de trabalho.

Mas enfim, afinal há vida depois da morte e um mail que recebi agora mesmo fez-me voltar ao activo das transmissões de guerra.
Foi uma batalha dura e difícil, completamente rodeado pelo inimigo do planeta Ti-U, fui massacrado e salvo por um reforço de última hora. Tenho estado na clandestinidade a reagrupar o exército para a reconquista. Faltam dois dias. Sexta feira conto como foi!

Muitas propiedades no Ano Novo, para toda a família lá na Blogosfera, do Soldado Arvorado RISOS (para quem se lembra ou ouviu dizer como eram estas mensagens).

terça-feira, 4 de novembro de 2008

Puzzles

À medida que se vão juntando as peças, encaixando-as nos sítios próprios vão-se obtendo imagens completas. O todo é sempre mais do que a soma das partes...
Parecem verdades de la Palice...
Mas apesar de sabermos tudo isto, às vezes temos surpresas agradáveis, pois temos...

;)

sábado, 1 de novembro de 2008

Cooking, Seasoning and Tasting

OOOPs! That's were the rush led me...

As I believe there's more fun in the way than in arriving to somewhere, I love seasoning when cooking.

“Sometimes seasoning it's really not needed” I hate that kind of judgment.

I love it tasty. The right spot for me:
Spicy and sweet wrapped on a sharp, brilliant and tiny sheet of metal ...
Well done? Never crossed my mind...Raw!!!
The desert: Chocolate, of course. White, milk, bitter, dark, bittersweet, never mind.
Is there black and blue? I really love that album...Memory Motel, Hot Stuff, Fool to cry and, of course Hey Negrita....

Stones or stoned? Never mind It's Only Rock 'n Roll (But I like It)...

Oh my God I miss London too!
Have a nice Halloween.

Siga o Tio pelo e-milio