quinta-feira, 13 de janeiro de 2011

Vantagens do acordo

Sempre ouvi dizer que mais vale um mau acordo que uma boa demanda. Até concordava, pelo arrastar de situações até ao cansaço ou à obsolescência dos motivos que, eventualmente, nos levariam a litigar. Até que surgiram estes dois, o da bonita cidade italiana e o da Hortografia, com h, porque vem de horto, neste caso concreto, terra de cultivo, onde as más ideias germinam, florescem e dão origem a matagais de ignorância e a florestas de estupidez.

Mas, eis que pelo oráculo da SIC, enquanto tomava café, veio a luz! Uma só palavra bastou para que me tornasse um feroz defensor dos ditos cujos (não pronuncio o nome, à semelhança do computador azul, outro fruto deste status quo). Recordei de imediato os bons tempos em que dedicava às actividades lectivas, e também as praias do país irmão, onde abundam as bundinhas firmes, que se enchem de celulite mal chegam, para ficar, ao jardim irmão plantado deste lado do atlântico…

Como se não bastasse o oráculo, pretendi falar na redução mamária, perdão, na redução do deficit, aquela coisa para além do qual havia vida, mas parece agora que só se for vida anaeróbia, porque ar é coisa que não existe por cá. Tiram-nos ar a pouco e pouco…
 
A palavra mágica em letras brancas sobre o típico fundo vermelho, sintetiza de forma tão brilhante o conceito, que nem quis saber do resto da frase. A empregada do café é que deve ter pensado que me deu um ataque de qualquer coisa má, tal foi a minha expressão de surpresa.

Quanto mais simples é o conceito, mais poderoso e, neste caso, não acredito num acaso, ou em qualquer devaneio do destino. Foi premeditado, de certeza. Como é possível que não fosse?

Subsetor, é a palavra que me fez vibrar de alegria e perceber, finalmente, as potencialidades desta fraternidade, deste ecumenismo cultural em torno da língua portuguesa e das licenciaturas de três anos, com dissertação incluída.

Setor, é o nome pelo qual os alunos chamam (provavelmente passará a ser chamão) os professores, num estágio imediatamente anterior ao de profe. “ O meu setor de Marketing é muito simpático e está sempre a dar exemplos de empresas reais”, era um tipo de frase que se podia ouvir, a propósito de um professor dessa disciplina. Um setor de actividade não é um professor no activo, mas sim um segmento profissional… Um subsector, estaria englobado num determinado sector. Um sub-tenente é um posto abaixo de tenente. O dito acordo veio democratizar estas diferenças e resolver uma questão extraordinariamente difícil: Como distinguir os licenciados pré-Veneza e pós-Florença? Com a palavra mágica SUBSETOR, um professor licenciado pelo acordo de Siena, com um milagre de Assis, em dois anos!

São licenciaturas, meu senhor, dirá a princesa de Inducação, quando lhe perguntam o que leva no regaço…

8 comentários:

  1. Agora é que fiquei setorizada, depois de uma ação de receção fraturada numa coleção actual como esta, não tenho reação, vou refletir o que é ótimo...
    Abracinho meu!

    ResponderEliminar
  2. Actualmente, tem alguma importância distinguir licenciados?
    Até os encartados por fax servem... desde que sirvam os interesses de um Partido no poder... já lá vai o tempo das habilitações e competências, em vigor o verdadeiro Setor é o das... marionetas... de preferência com "bons conhecimentos" ;)

    Bjos

    ResponderEliminar
  3. Maria Teresa,
    E em direto...A ação é de fato em direto.
    É triste!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  4. Isa,
    O texto pretende ser irónico, como bem sabes. Os espanhóis até gozam connosco por causa dos "dotores". Melhor era dar o DR no fim do 9 ano, mesmo nas novas oportunidades. Pode ser que assim as pessoas se concentrassem mais em ser do que parecer, em saber do que mostrar mas, sobretudo em fazer alguma coisa de autêntico. Como dizes cada vez há mais marionettes (à francesa de propósito)...
    Bjs
    Bjs

    ResponderEliminar
  5. Dr, para mim é médico.
    Nem quando dei aulas deixei que me chamassem stoura... mas professora.
    Depois há engenheiros, arquitectos, físicos, matemáticos... Doutor só para o meu médico do Centro de Saúde lol

    Bjos

    ResponderEliminar
  6. Peço desculpa à Isa por intervir mas um médico pode não ser doutor, ser apenas um licenciado, aliás grande parte não é...
    Doutor "deveria ser apenas" aquele que prestou provas de doutoramento e foi "aceite". Abusa-se imenso do termo, mas não é só no nosso país!

    ResponderEliminar
  7. Isa,
    Há é dotores a mais (o acordo...)e bem formados a menos! Para mim um Doutor é uma pessoa que defendeu uma tese de doutoramento. Os médicos dão dos piores exempls de que se serve da licenciatura para ser alguèm e estas médias para entrar na faculdade não ajudam nada a melhorar a situação...
    De resto tens toda a razão...Como dizia o povo: "um burro carregado de livros ..." foi agora subsituido por "um burro vaidoso sem livros ..."
    Bjs

    ResponderEliminar
  8. Maria Teresa,
    Pois não, no Brasil havia os coronéis e agora há os doutores. Nós devemos ser dos piores na doutorice, mas infelizmenrt falta tamta educação ao povo. Ou é doutor ou senhor antónio...
    Bjs

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio