sexta-feira, 28 de janeiro de 2011

Receita de Brownies

Inspirado pelo fim da quadra natalícia, resolvi meter mãos à obra e fazer um docinho para animar a casa e continuar a ingerir mais calorias do que o necessário. Também não é despicienda a ideia de que o chocolate faz bem à alma e mais vale prevenir do que remediar. As carências afectivas não são excepção a esta regra…

Começo pelo fim, pela forma de servir.

Pensei que talvez não fosse pior acrescentar umas natinhas batidas e vai de agarrar num pacote de natas Mimosa (da concorrência, mas se clicarem no link recebo 10 cêntimos), começar a dar ao braço e ir juntando açúcar. O açúcar a mais nunca fez mal aos doces nem ao colestrol …

Vamos então ao modo de preparação:

Deitar o conteúdo do pacote na batedeira, juntar um ovo inteiro (sem a casca), juntar 125 ml de água e 100 gramas de manteiga e bater durante 3 minutos numa velocidade rápida, em seguida verter a massa na forma que previamente construiu com as aulas de trabalhos manuais ou com a cadeira de Construções Civis da Licenciatura em Engenharia Civil de uma Universidade que não figo o nome. Polvilhe com os pedaços de chocolate que vêm no saquinho de celofane branco.

De seguida leva-se ao forno, previamente aquecido a 180º (duas vezes noventa) durante 25 minutos. Deixe arrefecer, retire da forma, desdobrando as laterais e corte em pedaços. Sirva com o chantilly. O que sobrar pode ter outras utilizações mais divertidas.

Tenho que dizer que escolhi esta sobremesa porque a embalagem me pareceu a mais cheia da prateleira do Lidl. Contrariamente às outras, que parecem meias vazias, esta era pesada e parecia que estava a rebentar e, muito importante, dizia que não precisava de forma, porque já a trazia dentro, o que confirmei depois. Também pesou na decisão a preparação, muito simples como se viu. Faz um vistão, é da marca Belbaker, deve ser a marca própria do Lidl, custa menos que 3 euros e os Brownies são deliciosos. A caixa tem uma cor creme, com letras a azul-escuro, é fácil de encontrar. A forma é pequena, cabe naqueles fornos eléctricos que parecem de bonecas, mas que dão um jeitão lá em casa para fazer aqueles pratos que não são de ir ao microondas (desenvolvam lá essa tecnologia, porque é mais rápido).

Podem também arriscar em fazer esta deliciosa sobremesa, com uma receita mais tradicional, usando chocolate a sério, leite etc. Nunca experimentei, mas deve ser bom. Aqui fica uma sugestão roubada na blogosfera.

Depois digo o que fiz com as natas batidas…

6 comentários:

  1. Que desilusão o Tio me deu... doce de Pacote? Do Lidle?... dos alemães que nos vendem submarinos?
    A sugestão, já vou ver, mas não vale... gostava de ver aqui um docinho todo feitinho pelo tio ;)))

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Isa,
    :(( As minhas desculpas. PAra me redimir vou experimentar o seu salame de chocolate!

    O bolinho que tirei do seu blog dos cozinhados:
    http://cooking-slow-faster.blogspot.com/2010/04/for-portuguese-friend.html

    ficou óptimo! Até postei sobre o assunto. Quando experimentar o salame digo.
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. A quadra natalícia já acabou?!? Agora percebo porque é que a minha jove me anda a chatear para desmanchar a árvore de Natal...

    ResponderEliminar
  4. Caro Rafeiro,
    Andamos sempre no Carnaval, mas de vez em quando salteamos (para usar uma linguagem culinária) com Natal (bolo rei, prendas-envenadas ou não-Pais Natal, duendes, pastorinhas, etc).
    Abraço

    ResponderEliminar
  5. Ainda me lembro quando o tio fez o meu bolinho... ou melhor... o seu bolinho... já estava a chamar meu àquilo que era seu... maus hábitos que se apanham por aí lol
    mas voltando ao assunto, foi por isso que fiquei tão desapontada... ver um bom cozinheiro agarrado a pacotes lol

    Bjos

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio