domingo, 22 de maio de 2011

Cocido Madrileño

Fechado na cozinha duas semanas inteiras, com um dia de folga (nem o Domingo para ir ver a miúda e vestir o fatinho de ir ver a Deus), quase me cansava dos tachos. Perdão das panelas, dos woks, das sauteuses e do resto da palamenta.

Mas não! A difícil situação internacional obriga à necessidade de intensificar as relações bilaterais, a partilha de experiências e o desenvolvimento de novas parcerias institucionais. As circunstâncias, com uma conjuntura depressiva, mas onde o nosso esforço faz a diferença, obrigam a uma difícil missão internacional, na capital del país hermano, que necesita ayuda, perdón, que me equivoco, es en portugues que escribo.

Há algum tempo tinha recomendado a criação de um facto político, mas não me referia a um acampamento nas Portas do Sol! Pensando bem, com aquele movimento nocturno até dá jeito umas tendas, já que a barraca está armada.

Voltando ao puchero, deixo-vos uma receita, verdadeira, de cocido madrileño! Deve ser bem regado com um rioja tinto, para excluir qualquer possibilidade de trabalho sério na parte da tarde. À noite, depois desta experiência gastronómica e de uma siesta pequena, já se devem ter recuperado as forças e a vontade de sair, que sítios não faltam.
Dito desta maneira até parece que vou de férias, o que não é o caso…Já que ando tão concentrado na cozinha, prometo que conto tudo no regresso.


¡Hasta pronto!

10 comentários:

  1. Vou fazer uma confissão, odeio novelas, algo que até tem... um não sei quê de visceral... quando se estrá a entrar na coisa... pimba... fica para o próximo episódio, portanto, como há anos que não vejo novelas fico fula quando num episódio de qualquer outra série que, geralmente, tem princípio, meio e fim aparece... (continua), aí, a minha sorte é que as panelas, os woks(tenho 2) e as sautauses estão longe, na cozinha, porque não tenho orçamento para, frequentemente, mudar de televisor.
    Claro que já sei que por qualquer motivo não verei a tal continuação ficando uma frustação do quase... que não chegou a ser.
    Ora este parlapiê todo vem a propósito do título do post, o tal Cocido Madrileño, e já preparadinha e a postos para a receitazinha do Tio... acabo numa receita de uma tal Esther Martinez que não conheço de lado nenhum e pior... o tio promete que conta tudo no regresso... e vá lá, vá lá ... não vai de férias ;)))

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Isa,
    Ai que susto, quase deixei cair o copo que tinha na mão, quando li que lhe apetecia atirar com os woks! Também não gosto dessas "a continuación" !!! Desculpe mas a minha intenção não era transformar a minha casinha numa novela. Nem quero que atire com nada ao seu PC, ou Mac!!! Para além do custo, ainda ficamos sem os seus posts...Juro que vou em trabalho e não vou fazer um estágio com a Esther. Não me pareceu mal a receita (sabe que já fiz um bolinho muito bom a partir do seu outro blog?).
    Tenho andado a cozinhar contas e números e daí esta obsessão pela cozinha...
    Este post foi uma maneira de pedir desculpas antecipadas pela interrupção. Prometo tentar enviar uma crónicas de Madrid, via email. ?Vele?
    ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. Ires voluntariamente cozinhar para os nuestros hermanos manifestantes, é tão nobre da tua parte tio,... fiquei comovida :))) Fico à espera do que sairá da tua banca da cozinha! beijinho

    ResponderEliminar
  4. Boa sorte, jove, e cuidado com a movida! Das panelas, claro!

    ResponderEliminar
  5. Eva,
    Estes dois dias são de reflexão...
    Bjs

    ResponderEliminar
  6. Rafeiro Perfumado,
    LOOOL!
    Ainda dá uns revueltos ;)

    ResponderEliminar
  7. M.,
    Uso muito esse concentrado no molho das francesinhas...
    É o progresso que vem da internacionalização.
    ;)

    ResponderEliminar
  8. lol

    Espero que já saibas... para teres cuidado... os pepinos andam com uma bactéria que pode ser mortal... e dizem que são espanhois... (curioso que ainda só mataram alemães) portanto... podes estar com a Esther mas afasta-te dos pepinos ;)lol

    Bjos

    ResponderEliminar
  9. Isa,
    Nem vê-los!!! Lembro-me logo da pepineira do nosso pís. É pena que a bactéria não lhe chegue!
    Beijinhos e força na casa nova!

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio