quarta-feira, 15 de fevereiro de 2012

Quem tramou Peter Pan

 
Quando me falam de serviço público na RTP, penso imediatamente nos programas de entretenimento geral, cheios de interesse e para toda a família, como as telenovelas da tarde, ou as televendas encapotadas a meio dos excelentes programas da manhã, onde se anunciam coisas tão fantásticas como a gelatina que incha no estômago e tira o apetite, recomendada com um sorriso de orelha a orelha por um respeitável apresentador da televisão pública. E penso também que vão longe os tempos em que um jornalista teve um processo disciplinar por ter feito um anúncio, que se parecia com um telejornal…

Tive a pouca sorte, numa semana que deve ter sido das piores que me lembro, de ter ligado a TV e me ter saído um programa que me parecia um remake do, felizmente já extinto (espero eu), Quem tramou Peter Pan, como o sugestivo nome desta posta.

O nome é um monumento ao mau gosto mas, em parte, contribuiu para que tivesse visto alguns minutos, talvez enquanto tomava um café, de pé, ao balcão. Até onde iria o mau gosto?

Este gesto não se pode confundir com aquela curiosidade mórbida dos condutores que param para ver os acidentes dos outros, apenas mostra a inércia típica de alguns espectadores de televisão e, como já várias vezes tenho referido, demonstra que o Marshall McLuhan tinha razão quando se referia aos meios de comunicação e às massagens…

Em todo o caso recordo ter visto um “apanhado” com dois miúdos a quem é pedido para segurar um gelado enquanto a professora (?) se ausenta da sala. Os miúdos, não sabem o que fazer ao gelado que se vai derretendo até que acaba por cair na mão, sendo então comido por eles, em desespero, e como único recurso para não cair no chão….Nesse momento entra a professora, que os acusa de ter comido o gelado! Enfim, talvez tenha sido o único a não achar nenhuma graça a este tipo de utilização das crianças e, menos ainda, quando sujeitas a este tipo de situações perfeitamente lamentáveis. Não tenho medo que fiquem traumatizadas ou com complexos de estrela de novela. Também não estou com inveja do ordenado da apresentadora, que também é escandaloso para uma empresa pública que acumula prejuízos que todos suportamos. Apenas me perece mal…

Como é possível que esse programa possa ter tido uma audiência média de 9,2%, e 24,9% de share? Não somos piegas, somos masoquistas…

E tramado estou eu e todos nós que suportamos estes devaneioscaríssimos. Reduzir os ordenados, escandalosos, dessas estrelas em 10%? Só? Enquanto a generalidade dos trabalhadores do Estado viu os seus cortados em, pelos menos 14%? Estão a brincar, só pode ser. E reparem que é a primeira vez que uso esta palavra tramar cá na casa...

Olha Sininho, e se fôssemos para a caminha? Está na hora…

6 comentários:

  1. Olha só esta que não tem muito a ver com o post mas que, no fim de contas, até poderá ter:

    Há dias, no meu emprego, calhou eu dizer a uma colega que já não via televisão há quase duas décadas!
    Resposta dela:
    "Então não tens Cultura nenhuma"
    Olhei por um breve momento pró trombil dela mas contive-me com este pensamento:
    "Não vale a pena! Não irias perceber"

    ResponderEliminar
  2. Grade texto. A miséria intelectual parece ser ainda maior que a financeira.

    GOstei muito de ler e subscrevo inteiramente.

    Eu pessoalmente estou ansioso para que privatizem a RTP e deixarem de gastar o nosso dinheiro nestas merdas e noutros apresentadores que nós sabemos.

    ResponderEliminar
  3. Tem muita audiência porque a maioria dos portugueses não tem poder económico para pagar TV por cabo (por exemplo os meus pais não têm reformas para escapar à tortura) e, não concordo que a televisão pública não possa ter publicidade, porque eu pago e tenho que a gramar na mesma e ainda continuar a pagar para a pública porque o sistema está feito para satisfazer, de todas as maneiras, "as algibeiras" dos privados.
    Sou por uma televisão pública mas sem concorrência desleal... porque, resumindo e concluindo, está tudo feito para enrolar e estupidificar os otários.

    Bjos

    ResponderEliminar
  4. LOL,
    Infelizmente há cada vez mais gente que pensa que ter cultura é conhecer o enredo das telenovelas, a vida privada dos apresentadores, o número de pares de sapatos da Catarina Furtado ou da Júlia Pinheiro...
    Quanto me batem à porta para vender TV Cabo e Internet e descobrem que não tenho nem telefone nem Televisão por cabo ficam a olhar para mim como se fosse uma raridade..

    ResponderEliminar
  5. Daniel,
    Também tenho esperança que privatizem a RTP! É uma vergonha que os nossos impostos sirvam para sustentar estas mordomias...

    ResponderEliminar
  6. Isa,
    Acredito que sim, que seja por falta de alternativas. Eu também não tenho TV cabo em casa e não quero. É caríssima!
    O problema não é a publicidade são alguns anúncios metidos a como se fossem parte dos programas. Este da gelatina amarela já o vi duas vezes.

    Todos os governos, infelizmente, têm uma sede de manipulação da televisão, por isso não acredito que a privatizem. Se o fizerem é porque os eurocratas que mandam a massa assim o obrigaram. Era bom, porque como serviço público o canal dois, servia muito bem, e muito melhor, digo eu.
    Bjs

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio