quinta-feira, 29 de setembro de 2011

Amizade virtual, do on ao off, a 300 GHz

Arranjei este nome pomposo para descrever a minha última experiencia no livro das caras. Não a experiência pessoal do Tio, que é pequena (não sei se por falta de tempo de v-friends), mas a do gajo que escreve e assina estas postas.


Farto da zoosta, quinta da cidade, quinta dos peixes, guerras mafiosas and so on resolvi bloquear essas aplicações. Em particular uma v-friend que não estava a conseguir identificar e que frequentemente me brindava os meus amigos e a mim próprio com perguntas do tipo: Queres saber o que o António Bernardo pensa de…Ou: Achas que o António Bernardo era capaz de mentir, ou ainda: Achas que o António Bernardo era capaz de trair?

Nunca fui procurar a resposta e espero que nunca ninguém o tivesse feito, mas pensei que tendo alguns amigos em comum talvez pudesse conhecer a pessoa, até porque também uso esse livro das caras para fins profissionais.

Dei-me ao trabalho de perguntar a todos os amigos em comum quem era essa amiga virtual. Ninguém sabia. Um não se lembrava. Outro tinha aceitado porque era minha amiga e os outros tinham aceitado porque era minha amiga e do primeiro. Eu próprio tinha adicionado por ser amiga do primeiro e ter pensado que talvez conhecesse e fosse minha colega ou, hipótese mais remota mas não totalmente de rejeitar, talvez fosse minha cliente e amiga dessa primeira pessoa.

Então, cansado de bloquear aplicações, tomei a decisão final: Desamigar (neologismo detestável que serve para descrever o que fiz). E foi simples. Reflecti 5 segundos e depois carreguei no botão onde dizia “Unfriend”. E foi rápido e indolor. Essa pessoa desapareceu da minha vida v-real….

PS: Se conhecerem alguém que tenha sido desamigado, por favor digam, pois pode ser que tenha sido um engano e a pessoa até seja amiga de infância, colega de liceu, de faculdade, de trabalho ou até leitora ou seguidora do blog. Não acredito, mas mais vale prevenir, just in case.

14 comentários:

  1. Tenho um prazer especial em dizer que nunca fiz parte do livro das faces ;) e que nunca vou fazer parte dele... apesar de ser sempre um bico de obra tentar escapar a convites e explicar as razões da minha aversão a uma coisa tão cínica... antigamente amigos era outra coisa e aqui, alguns nem sequer são conhecidos... e encher os bolsos de dinheiro a quem explora esta ingenuidade de amizades plastificadas... muito menos ;)
    Essa de desamigar... até merecia uma medalha... e uma taça... um automóvel... duas barras de ouro... lol lol lol

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. A versão original, em inglês, é já de 2009, portanto, "velhinha", tendo em conta a rapidez com que estes v-termos aparecem e desaparecem.

    Eu não sou frequentadora assídua do FB, apesar de ter conta, usada pelo meu filho para os jogos.
    E não sou pelas razões que a Isa GT apresenta.

    É de facto uma praga que invade a nossa inbox. Prefiro, de longe, "amigar" com quem escreve em blogues, mesmo sabendo que nunca conhecerei a maior parte dos donos e donas. :)

    ResponderEliminar
  3. Nunca passei por essa experiência de desamigar porque não tenho facebook. E não tenho, porque parece-me que tem um manancial tão grande de riso que seria a minha desgraça - não conseguiria trabalhar, eheheh

    ResponderEliminar
  4. Eu não sou sua amiga no Cara de Livro, por isso estamos desamigados à partida e desde sempre:):):)
    Abracinho meu!

    ResponderEliminar
  5. Olha Tio... como sabes, a minha experiência no livro das caras foi fugaz e pouco rica... desamiguei um amigo logo nos primeiros dias... não só da vida virtual como da real... que já partilhei lá no meu blogue... depois tive a felicidade de ser tua amiga (yes!) e depois desamiguei-te, rsssss porque decidi que aquilo não era para mim... começei a receber convites de pessoas que não conhecia mais gordas e aquilo que começou para partilhar com os meus amigos mais chegados, algumas coisas, passou a ser um espaço para depositar os meus posts do blogue e os meus amigos que gostam tanto do facebook como eu, nem lá iam... rrss e achei tudo uma patetice... Essas aplicações escolhem um nome ao acaso para essas pergunttas, julgo... Beijo

    ResponderEliminar
  6. Isa,
    Fiz como tu inicialmente. Escusei-me a responder todos os convites. Depois a pressão profissional, sobretudo fez com que aderisse. E assim também vou contactando com amigos que vejo pouco e com a familia...
    bjs

    ResponderEliminar
  7. Julie,
    Confesso que também perco muito tempo a rir-me com essa info-loucura..

    ResponderEliminar
  8. Maria Teresa,
    Aderi ao licro muito recentemente.... Não sei se me vou manter. MAs gosto muito mais destas amizades do blog, mesmo não conhecendo pessoalmente as pessoas!
    Bjs

    ResponderEliminar
  9. Eva,
    Também acho que vou deixar o livro das caras do Tio...Não tenho tempo para as duas coisas e gosto muito mais do blog!
    bjs

    ResponderEliminar
  10. A minha experiência com o livro das fronhas foi aceder depois de alguma insistência dum americano que conheci na Rede. Isto foi há meio ano ou mais. Fui lá umas duas ou três vezes e desde então tenho recebido mensagens no meu e-correio a dizer que há muito tempo que não visito aquilo.

    ResponderEliminar
  11. Já fiz duas tentativas, e nunca me fixei nesse livro, são demasiadas caras para um simples passarinho :)
    Desamigar !!!
    Uma palavra perfeita que vou guardar...nunca se sabe ;)

    beijinhos

    ResponderEliminar
  12. Daniel,
    Como eu te compreendo! Mas bem usado até pode ser uma ferramenta de comunicação com algum interesse.

    ResponderEliminar
  13. Fê,
    Demasiadas caras. Bem visto!!! E quem vê caras não vê corações!
    bjs

    ResponderEliminar
  14. Pseudo,
    Também tenho conta, mas bloqueei todos os jogos ;)
    também prefiro amigar na blogosfera. è mais autêntico. E gostei dessa palavra amigar. Tem alguma coisa a ver com o "grocar" do Estranho em Terra Estranha?

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio