quinta-feira, 17 de setembro de 2009

Português?

As coisas mais complicadas e mais estranhas começam com pequenas coisas, às vezes perguntas inocentes despoletam verdadeiros cataclismos de explicações, sem sentido. Outras vezes acontecimentos absolutamente inesperados.

Desconheço em absoluto aquela teoria do caos e dos fractais, ou do acaso, mas começo a acreditar que o equilíbrio de construções muito estáveis depende de pequenos factores, muitas vezes aleatórios. Não será o bater de asas da borboleta que provoca o maremoto, mas para lá caminhamos.

E assim, depois de duas fantásticas noites das antillas, penso como se terão conjugado esses factores cuja probabilidade de ocorrência em simultâneo era ínfima.

Caminhava pelo passeio junto ao mar quando também vi uma cabine telefónica de moedas. Já não me recordava de ver alguém utilizar um desses “orelhões”. Teria ficado sem bateria no telemóvel, e está à espera de alguém, pensei. De certeza. E que palerma, para fazer esperar um mulherão daqueles, corpo bronzeado num vestido branco, não demasiadamente curto. Tentava encontrar trocos num porta-moedas minúsculo. Uma moeda caiu ao chão, rolou na minha direcção e acordou-me do sonho onde já estava. Apanhei-a. Contrariamente aos anúncios de televisão, não se tinha abaixado, nem sequer tentado. Percebeu que não valeria a pena. Não tive pressa de fazer o meu olhar chegar ao nível dos seus olhos escuros, enquanto me levantava.

Descobri incidentalmente porquê. Finalmente ficou provado cientificamente (como se precisássemos dessa prova), que o cérebro dos homens fica parado na presença de mulheres atraentes. Tentei não ser indelicado mas não pude evitar essa paragem. Um programa qualquer de tomografia axial deve fazer o mesmo percurso, para criar uma imagem virtual.

Quando dei por mim a entregar-lhe a moeda, agradeceu-me e com um sorriso simpático e franco perguntou-me, como quem adivinha: Português?

6 comentários:

  1. Não quero sequer fazer uma pequena ideia do modo com a olhou...
    O "português?" teria uma pontinha de sotaque?
    Os portugueses têm imensa fama! Será que estão à altura dela (fama)? :))))

    ResponderEliminar
  2. Hahahaah, adorei esta descrição pormenorizada do percurso do olhar, comparado a uma TAC!

    Linda e simpática, hummm...é de aproveitar! rsrsrssr

    ResponderEliminar
  3. It seams your resilience is so famous it precedes you... as I suspect, your lack of resistance... in this case, to temptation! :)

    kisses

    ResponderEliminar
  4. Maria Teresa,
    O cérebro, às vezes pára...É o Tio Al! E há indumentárias que ajudam a essas paragens.
    O Português, também não sei como. Seria por ter estado ao telemóvel segundos antes? Haverá acasos?

    Diabinhos,
    Sempre fui muito dado a elogios, por vezes a exageros!!!! E às vezes aos dois juntos...

    Eva,
    In this business, we must have stamina and resistance...LOL!

    kisses

    ResponderEliminar
  5. só lhe pergunto uma coisa, estão os portugueses tão mal catalogados no mercado???

    ResponderEliminar
  6. Olá Miss Why Not,
    Não tinha essa ideia, mas nunca fiz nenhuma avaliação desse tipo. Se quer mesmo saber, o melhor será perguntar a algum, quando o encontrar...Em função da situação o valor pode variar, imagino eu.

    E bem vinda, há séculos que não tinha o prazer da sua visita.

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio