sexta-feira, 25 de setembro de 2009

Carta de Guia de Empregados

D. Francisco Manuel de Mello foi a inspiração do D. António Anel de Tédio, para publicar o seu Best Seller, Carta de Guia de Empregados, na rentrée de 2009.

Como se sabe, os empregados são os habitantes de Emp-Reza, um planeta da galáxia Ti-U, a que já me referi várias vezes nestas viagens, e o livro, como o nome indica, é o correspondente ao livro do Homem Xonai (qualquer eventual semelhança com outra eventual publicação é mera coincidência), que em determinadas aldeias do planeta Te-Rra é o oráculo.

Mais do que um conjunto de regras, normas ou conselhos, o livro encerra uma filosofia de vida, de aceitação das leis universais desse planeta e, em particular, da região de Emp-Reza, designada como PME, por ser um sítio onde habitam duas tribos de eunucos, os pequenos e os médios (daí o acrónimo PME, Pequenos e Médios Eunucos).

Não tenho dúvida que, para além da oportunidade da obra, será em breve adoptada nas Esc-Holas de G-Tão de todo o planeta e, em breve vai estar nas estantes de todos os lares. Não para apanhar pó ou encher prateleira, estará para, diariamente, ser retirado e lido em família antes das refeições.

Hoje, decidi retirar duas pequenas citações dessa excelente obra, sem referir a página e a edição, de propósito, para que seja obrigatório ler a obra toda e, saliento e insisto, estas pequenas citações não dispensam a consulta da obra citada. Então, aqui vai:

O empregado é, pela sua natureza, indolente, parco de inteligência e de iniciativa. A esperteza que mostra é apenas nas viagens fora do planeta. No planeta Emp-Reza, apenas procura a maneira de enganar as autoridades locais, subverter o esquema de funcionamento e as leis de governo, sempre a seu favor.
O seu pensamento está orientado apenas em enganar as entidades patronais, que lhes oferecem o trabalho que eles tanto precisam.
Por isso, devemos sempre referir-nos a eles, pelo seu verdadeiro nome, que eles detestam e abominam: Os “criados”, na Indústria Hoteleira, e “funcionários” para os mais qualificados, ou de outros sectores.


Outro excerto de extrema acuidade:

Independentemente do seu lugar da hierarquia de Emp-Reza, devemos ter sempre presente uma verdade inquestionável: Empregados são empregados, que têm como único objectivo fazer o menos possível e cair nas boas graças do Dono. Assim, nunca deve a entidade patronal, ou seja o Dono, mostrar alguma contemplação ou apreço pelo trabalho desenvolvido. Qualquer êxito, ou sucesso deve ser sempre atribuído à conjuntura, ao acaso, às deficiências da concorrência, aos bons contactos do Dono, etc. Nunca, em caso algum, o sucesso deve ser atribuído ao desempenho profissional dos criados. Este não reconhecimento do seu desempenho ou capacidades, enfurece-os de tal forma que, em muitos casos, tem como consequência ainda trabalharem mais e melhor. Se tal não acontecer substitui-se por outro e levam um processo disciplinar como recordação.”

Em breve o Tio irá dar-vos mais pérolas deste “best given”, porque em Emp-Reza ninguém compra nada, tão a ver?

4 comentários:

  1. "ser retirado e lido em família antes das refeições."

    Para tomar assim tipo xaropinho da tosse, 3 vezes ao dia?
    hahahahaha...remédio santo, lá se vai a tosse!

    Bjo

    ResponderEliminar
  2. Can't wait to have it on my shelf !!It's a bit crooked and I could do with a book to level it out... :)

    ResponderEliminar
  3. Maria Teresa,
    Vender há muito quem tente. Comprar é que há menos...

    Diabinhos,
    Ele há cada receituário, que nem imaginas :-)

    Eva,
    Please do not use in the fireplace. There are serious penalties ;)))
    And the smoke is poisoned (nobody knows).

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio