quinta-feira, 3 de outubro de 2013

Vistas Grossas



Diz o povo que o pior cego é o que não quer ver. Como sempre, estes ditados populares expressam, de forma sábia e simples, questões importantes da nossa vida. Pior cego é o que não quer ver sintetiza uma verdade incontornável, comprovada todos os dias e, de forma muito especial no rescaldo das eleições.
Também dizemos quando alguém olha para o lado, fingindo que não quer ver que faz vista grossa. A vista grossa, se usada com frequência, passa a ser um estado inicial da cegueira provocada por não querer ver… Quanto mais repetimos esse estado de vista grossa, mais perto estamos da cegueira voluntária. Como o hábito faz o monge – e aqui vai um outro aforismo – é óbvio que quem muita vista grossa faz, cedo lhe vem a cegueira!

Esta dissertação sobre a vista vem na sequência das autárquicas e dos comentários dos leaders partidários. Tal como previa todos ganharam. Bem, os laranjinhas talvez não, mas de resto todos ganharam, até o esfrangalhado Bloco, ou o Penta CDS. Sugiro que em vez de Penta CDS lhe passem a chamar Pinta CDS pois as conclusões do Paulinho são verdadeiramente assombrosas.

Fiquei triste com o Bloco. Não por esperar que fossem a algum lado, mas porque a Catarina é mais gira que os outros leaders e faz uns olhinhos que arrastam muita gente. Não funcionaram desta vez. Acho que o eleitorado vez vista grossa aos argumentos da miúda…

O PBX, Partido Berdadeiramente Xuxialista ganhou em Lisboa, subiu o número de Câmaras e o ego do Tozé ficou tão inchado que já aumentou uns números na camisa. De certeza que já mandou dois emails para a loja onde manda fazer as camisas e já twitou o assunto. Só marcou uma conferência de imprensa, para não cansar.

O que realmente me incomoda são os profissionais de presidência de câmara. Se o Relvas se tivesse lembrado disto, tinha tirado uma licenciatura em Presidência de Câmara e estava resolvido... Mas não, preferiu o caminho das pedras e foi pelo folclore que se resolveu especializar. Resultado: O povo não perdoou. Não fez vista grossa às trapalhadas…

Oh Eiras, Oh Eiras, onde andas tu, sem eiras nem beiras, podia ter sido um slogan de campanha. Não foi. Em Oeiras, preferiram um Vistas, que no espírito do seu mentor Isaltino, faz vista grossa ao bom senso, mas ganha as eleições. Vai fazer o Prision Brake 25 rodado no Oeiras Parque. Promessa eleitoral do sobrinho taxista, cheio de massa.

Mas nem tudo foi mau. O povinho mostrou que está farto que lhe dêem a mesma palha a comer, mas reciclada de outros lados…Os candidatos que alguém chamou de trânsfugas foram rechaçados. Gostei particularmente do Porto. Os porcos assados nos bairros sociais não levaram a nenhum lado e o Menezes levou um banho como nunca esperou. Sinal que não conhece as gentes do Porto. Oferecer tripas a portistas, é como levar areia para o deserto…No Porto ninguém fez vista grossa. Põe-te fino, carago!

E a justificação laranja, como sempre do pior. A falta de estratégia política, de bom senso e de discernimento na escolha dos candidatos levou ao desaire total. Como diria o povo, fez-lhes bem mas, a avaliar pelas reacções, não compreenderam a mensagem. Não a compreenderam por fazerem vista grossa, mas porque não a quiseram ver. E o pior cego, como diz o povo, é o que não quer ver…

E chega de política por hoje que vou ver outra coisa mais agradável e limpinha.

2 comentários:


  1. O que escreveste não é uma dissertação... é um verdadeiro "ensaio sobre a cegueira"...


    Beijinhos de olhos fechados
    (^^)

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio