segunda-feira, 4 de junho de 2012

Alegria e desgosto, mistura aparentemente contraditória


Há dias, uma televisão passou-me em frente aos olhos e percebi que transmitia um jogo da selecção portuguesa. Pensei que lhe poderíamos chamar escrete, para os nossos amigos do outro lado do atlântico não se escandalizarem com o c antes do outro c cedilhado, mas estes pensamentos foram interrompidos quando vi que Portugal perdia com a Turquia. Perguntei, para me certificar se era verdade, se Portugal estava mesmo a perder, ou o resultado que o ecran mostrava não era o total de faltas, de foras de jogo, ou de outra coisa qualquer. Não. Eram mesmo golos! Fiquei muito mais descansado, mas o meu curto sossego foi interrompido quando me disseram, como que em justificação, que o Ronaldo (não o MacDonald, mas o Aveiro) tinha falhado um penalty. A minha exclamação deve ter sido mal entendida porque logo de seguida veio a justificação: Este jogo não é do Europeu, é de treino, é um jogo de amizade…Não conta!
Percebi que íamos ter mais loucura. Mais bandeiras às janelas, mais cromos e cadernetas, mais estágios, mais reportagens inteligentes, mostrando os jogadores a comer esparguete, alternando com imagens do parque de estacionamento, para a populaça poder admirar as viaturas onde se deslocam. Pelo meio, ainda vamos poder testemunhar a ansiedade das mulheres durante os jogos e uma ou duas idas às compras, a torrar os cartões dos maridos/companheiros, que com tanto esforço o ganham. A cereja no topo do bolo será a re-seção (new acordo dixit) pelo presidente ou pelo segundo ministro…Felizmente, desta vez, ficámos pelos estágios, sempre saem mais baratos que os estádios e SCUTS, que tanto ajudaram a desenvolver o pais, tirando Portugal desse buraco negro que se encontrava antes de 2004. Acho que vem desde aí o meu fraquinho pelos gregos…E pelo Benfica que teve que comprar o tipo que nos marcou o golo nesse ano em que a moral portuguesa esteve muito em cima.

Fico com uma esperança secreta, que partilho com os meus leitores. Pode ser que alguém se engane e, em vez de comprar bilhetes para Varsóvia, vá a Vila Viçosa, ou a Elvas, em vez de Kiev ou, para os mais afoitos, Monsaraz em vez de Mönchengladbach. Sempre ficam a conhecer mais um pouco de Portugal e evitam encontrar-se com a turba de adeptos desse desporto a que alguns republicanos chamam rei. Ironia da grossa.

6 comentários:

  1. : )

    O entusiasmo vai ser tanto que lhes desvia a atenção das coisas mais sérias.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Estes campeonatos acontecem quase sempre em alturas onde é preciso desviar as atenções...No nosso caso é sempre!

      Eliminar
  2. Naaaa.... este ano está tudo murcho! Está tudo com raiva aos meninos de elite (e sua comitiva) que andam a esbanjar aquilo que pertence à Troika!
    Não antevejo, por isso, turba de adeptos por lá... (onde não existe uma comunidade de emigrantes portuguesa em nº significativo para fazer barulho) nem por cá. O tempo do Scolari já lá vai e ele é que sabia movimentar e empolgar as massas como ninguém (não é as massas da Milaneza Tio.. nada de confusões).
    Para cozinhar massa têm lá o chef Hélio Loureiro e se calhar pago a peso de ouro... (acho que já sei porque é que os grandes chefs de cozinha também são grandes... hehehe)

    Bom, esta conversa deu-me fome. Vou ali lanchar qualquer coisita... és servido?


    Beijinhos "reais" :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Orquídea,
      Sabia bem um chá vermelho, mas não tenho companhia :-(

      Sim, acho que tens razão, mas com a alergia à Tia Merquela se está a tornar numa pandemia, pode ser que haja algum fenómeno de contágio para galvanizar as tropas...

      Beijos

      Eliminar
    2. Sabes bem quem te acompanhava num chá de rooibos...

      Ontem esqueci-me de te dizer (e hoje vem de novo a propósito porque estás a bisar o termo) que me obrigaste a ir ver o significado da palavra escrete.
      :P

      Eliminar
    3. Orquídea,
      Foi sem intenção...Espero que tenha valido a pena ;-)

      Eliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio