quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Why Don' t You

Recordo, sem saudade nem amargura aquele “why not?”, pergunta despretenciosa e quase inocente, feita por uma cidadã de nacionalidade russa no hall de elevadores de um famoso hotel na capital desse país tão acolhedor, no que respeita a algumas coisas. A minha miúda, companheira de viagem, não se apercebeu e durante os dezassete andares que durou a viagem fiquei a pensar naquela nega e na eficiência daquele país. Para quê perder tempo com rodeios? Sobra mais tempo para o resto, desde que tal não signifique, bem entendido, a dispensa de preliminares, ou um percurso em linha recta. Linhas rectas só famoso triângulo das Bermudas, ou dos Shorts e do rectângulo Algarvio.

Bem, para dizer que ao “maybe later…” com que o monumento de 1,90 fechou o diálogo, não tive presente o “why don’t you…”, que podia ser uma resposta imaginária, recurso último de quem não quer dizer que não por simples questões que se prendem com aquela parte do cérebro que dizem que temos em comum com os lagartos, e também não poder (talvez nem querer) dizer que sim, por razões tão evidentes que nem vale a pena comentar.

Bem e já chega de comentários sobre frases. Pressinto que esta segunda referência a este episódio de Moscovo se deve a saudades do local e que os elevadores são omnipresentes na minha vida… Deixo-vos esta fantástica versão de Gramophonedzie do celebérrimo Why don’t you. Afinal na Sérvia também há vida nocturna, pelo que posso perceber. Cá em Portugal é que ainda não chegou o disco…e a primavera de Praga, já deu lugar ao Inverno.

Dancemos, mais não seja para alegrar a alma e manter o corpo e espírito em forma.




E um beijinho para a minha amiga S que me fez descobrir esta música fantástica!

10 comentários:

  1. Já estava com saudades dos elevadores ;)
    Não sei o que seria do Tio se tivesse nascido na Pré-História...
    Como viveria sem eles lol lol

    E, já agora, o vídeo prova que as mulheres fazem muita falta ;)))

    Bjos

    ResponderEliminar
  2. Isa,
    Começo a reconhecer a recorrência do tema...Terá alguma causa freudiana? Tenho que falar nesta questão à minha psicóloga ;)
    Bjs

    ResponderEliminar
  3. You called ? :) Realmente, é um tema recorrente... Terei de consultar a minha agenda Tio... talvez consigas marcação algures entre o 1º e o 8º... maybe later? rrrsssssssss Beijoca grande!

    ResponderEliminar
  4. Essa é uma boa ideia, eu também tenho que arranjar um psicólogo... muito baratinho, e, já agora... tempo para lá ir :))))

    Bjos

    ResponderEliminar
  5. Eva,
    Começo a acreditar que esta recorrência tem algo de freudiano...E desde já agradeço a tua oferta!
    Beijinhos

    ResponderEliminar
  6. Isa,
    è melhor ter um psicólogo à mão que dois psicanalistas a voar...E tempo há sempre, mesmo para dançar, que também é uma terpia a que recorro com muita frequência.
    Bjs.

    ResponderEliminar
  7. Com essa da dança...é que fico tramada, de dança não sei nada, só se for pisar pés alheios, mas disfarço bem... se for só abanar o capacete ;))))

    Bjos

    ResponderEliminar
  8. Isa,
    Não acredito... É falsa modéstia? Mas aprender também faz parte da terapia!
    Bjs

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio