quinta-feira, 13 de agosto de 2009

Em campanhas eleitorais autárquicas...

Era o subtítulo da minha posta sobre o gosto (ou a falta dele) numa bonita cidade das margens do Ave. O comentário de uma leitora, presumo que residente, alerta-me para a injustiça da generalização desse epíteto, atribuído a essa cidade de forma tão desbragada, como se de galardão, comenda, nota a Inglês Técnico ou até Licenciatura em Engenharia, nalgumas Universidades não Dependentes, se tratasse.

O Tio não é assim tão leviano e acho que ficou claro na prosa que não se pretendeu beliscar o gosto dessas gentes do Ave, que já têm o pesado fardo de, todos os dias, contemplar essas belas peças de campanha eleitoral que enfeitam a cidade, tão bem como algumas flores murchas embelezam os canteiros de muito belos jardins de Portugal. Talvez se sinta mais porque nessa cidade os canteiros estão todos muito arranjadinhos, sem flores murchas.

Recordo um episódio na Germânia, há uns anos quando pretendi tirar uma fotografia à minha mais que tudo, junto a uma fonte/escultura muito original (não tanto como as que se encontram em Santo Tirso, com abundância) e um cidadão local, com gestos nervosos, me pediu que esperasse um pouco enquanto tirava uma lata de Coca-Cola que alguém tinha deixado abandonada na dita fonte e a colocou, com ar sorridente e aliviado, no ecoponto mais próximo. Como cidadão, não podia deixar que um turista levasse uma imagem da sua cidade com esse aspecto negativo... Imagine-se esta atitude em Portugal e não só ninguém podia tirar fotografias, como também o Tio não teria publicado a posta anterior. Uff valha-nos esta liberdade! E a minha leitora tem toda a razão a cidade é bonita, o parque D. Maria II é precioso, os jardins estão arranjados, pode-se andar a pé confortavelmente porque abundam os espaços pedonais. As esplanadas funcionam no picadeiro central que dá pelo nome pouco auspicioso de Praça 24 de Abril (ou será 25?) e noutro a que chamam dos Carvalhais. Pena é que o clima não seja o da minha querida terra mas, paciência, não se pode ter tudo.

Contrariamente a outras cidades do vale do Ave cresceu pouco, e por isso ficou bonita, mantendo as casas tradicionais do Minho, como o edifício dos Correios, um verdadeiro achado. À excepção de uns alguns prédios demasiado altos, fruto certamente de uma época muito marcada pela revolução, a cidade convida ao desfrute. O edifício do antigo Hotel Cidnai foi demolido e substituído por um devaneio de mau gosto, certamente fruto desse surto revolucionário que deve ter atingido a cidade no final da década de setenta. Portimão sofreu do mesmo mal. Infelizmente foi mais extenso.

Quanto aos jesuítas e limonetes, entre os do Algarve e os da Moura, é-me indiferente. Ambos ficam a condizer com o Tio, se bem que foi uma Moura que, já fora do jardim do Algarve, me seduziu. O fruto proibido? Pareceu-me um limonete... Docinhos? Venha lá o diabo e escolha, que a carne é fraca e o Tio tem fama de guloso...

E não pensem que tenho estado de férias, porque ando a trabalhar que nem um mouro!

8 comentários:

  1. "já têm o pesado fardo de, todos os dias, contemplar essas belas peças de campanha eleitoral que enfeitam a cidade, tão bem como algumas flores murchas embelezam os canteiros de muito belos jardins de Portugal."

    Não encontro comparação mais deliciosa que esta! Parabéns.

    Abraço

    ResponderEliminar
  2. Olá Diabinhosfora, bem vindos sejais cá ao cantinho do Tio! E ainda bem que foi do vosso agrado! (Lá em STS usa-se muito a segunda pessoa do plural...)
    Abraço

    ResponderEliminar
  3. "Se o trabalho dá saúde que trabalhem os doentes"
    Meu caro Tio a trabalhar assim tanto, será que está muito doente? Já vi que o Tio é guloso, cuidado com as indigestões....

    Santo Tirso! Não é que fiquei com vontade de dar uma saltadinha ao Minho, local onde não vou há uma eternidade? Vou colocar Santo Tirso na minha agenda como local a visitar brevemente.

    Maria Teresa

    ResponderEliminar
  4. Maria Teresa,
    Obrigado pelo seu cuidado, faço muito exercício, para compensar as calorias em excesso (para além de trabalhar) ;)))

    O Minho é encantador. Braga by night está o máximo. Mas talvez seja melhor esperar por Setembro...

    ResponderEliminar
  5. Caro Tio

    Obrigada pelo conselho, mas sou uma mulher de resoluções rápidas,já marquei uma ida em Outubro, dias 3,4 e 5,
    não vou em Setembro porque, nessa altura, devo estar passeando pela Turquia e pela Grécia.

    ResponderEliminar
  6. Cara Maria Teresa,
    É assim mesmo! Também vou aproveitar essa ponte do 5 de Outubro, mas para uma Viagem Medieval...

    ResponderEliminar
  7. Sob sob.... sinto-me extremamente envergonhada Tio... só cá vim agora, e dou com esta pérola!!!! Que querido!!!!!! Ok estás mais que perdoado... e até (imagine-se...) convidado a vir cá comer uns jesuítas ou limonetes...

    ResponderEliminar
  8. Olá Eva Gonçalves,
    Não tens que te envergonhar, mas agradeço o teu perdão!!! E quanto aos jesuítas e limonetes, vamos combinar um destes dias ;)

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio