sexta-feira, 22 de maio de 2009

Cuskometer 6.8

Depois do estrondoso sucesso, ontem, da release 6.7 do Cuskometer, provocando súbito e inesperado agravamento do trânsito nas principais cidades do país, é lançada hoje a versão 6.8.

Menos de vinte e quatro horas depois da release anterior, ao estilo de Guilherme Gaitas, esta nova versão vem resolver alguns problemas da anterior e antecipar futuras necessidades dos utilizadores.

Em entrevista exclusiva ao MentesTU, o porta-voz da Tio do Algarve SA, revelou alguns segredos desta nova versão, que incorpora o produto concorrente “sitecusker” e ainda mede o nível de alcoolémia e sex-appeal dos utilizadores.

António Bernardo, acabou por deixar escapar que estas novas funcionalidades surgiram depois de três Jameson, dois Vikings (descoberta recente no reino da noite Algarvia, que consiste na mistura equilibrada do Vodka das Estepes e do licor Beirão da Serra da Estrela, com gelo), rematados com um TGV.

A necessidade da funcionalidade do sex-appeal surgiu já de manhã depois de um banho de água bem quente e de uma chuveirada fria. “É uma ferramenta fundamental, no noite-a-noite de todos os portugueses” foram as palavras com que terminou a extensa entrevista dada ao nosso blogal.

Aguarda-se com grande expectativa a reacção do público.

6 comentários:

  1. Abaixo a imitação de um big brother.
    Orwell (escrevi bem?) para a cadeia já.
    Não sabia que o "Jameson" provocava este efeito delirante, logo eu que detesto wkisky.
    Fiquei foi a conhecer Vickings, não frequento noites algarvias.
    Mas antes de me aposentar fui uma "mulher da noite"
    E esta hein?
    O que faria na noite de Lisboa?

    PS-Mentes perversas façam-me o favor de terem "bons" pensamentos

    Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah! ( incontrolável)

    ResponderEliminar
  2. Maria Teresa,
    Deixe-me descansá-la quanto ao Orwell. A release seguinte vem já aí e o efeito é surpreendente...
    Quanto à mulher da noite...O verbo é mesmo no passado? É pena.
    Mas ocmo fala do passado: Whisper´s, Plateau, Central Park, Peanuts e Metro e meio. Frolic, Coconuts, 2001. Estes nomes dizem-lhe alguma coisa?
    Só depois posso responder à sua pergunta...

    ResponderEliminar
  3. Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!Ah!.....
    Até chorei a rir!!!!!!!!
    Alguns nomes conheço-os mas juro que nunca lá entrei!
    "Frio frio como a pedra de um rio" como diria o meu neto.
    Também nunca fui ao Maxime nem ao Elefante Branco (???).
    Não frequento, nem frequentei bares nem lugares afins mas, nada tenho contra eles.

    ResponderEliminar
  4. Ah! Ah! Ah! Ah!
    Atirei esses nomes "quase" à sorte. Elefantes só talvez cor de rosa, com algumas tremuras. Tambem não costumo ir muito lá para os lados da Praça da Alegria...Ouvi dizer que agora está outra vez em alta. Talvez daqui a alguns anos talvez lá vá descobrir, quando eu próprio estiver mais em baixa. O homónimo de Paris, sob a forma de resturante, sim. Sempre tive uma certa inclinação para as coisas produzidas pelo Pierre C.
    Quanto à noite, aí na capital e arredores, a não ser ao meu Indoshas, tenho saído pouco... Mas não é por estar de banco...)

    ResponderEliminar
  5. Caro Tio,
    Depois do Jameson e desse Vicking (e ainda o remate do TGV), não há sex-appeal que aguente.

    ResponderEliminar
  6. Deb,
    Por isso esta release teve tão pouco sucesso...

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio