sexta-feira, 3 de abril de 2015

Pequena nota a propósito da ortografia e da minha Pátria



Quando escrevi o manifesto do Podemos e Phodemos, recordei o Livro do Desassossego…

E aqui fica esta grande verdade do enorme Fernando Pessoa, pela voz do Bernardo Marques:

Não tenho sentimento nenhum politico ou social. Tenho, porém, num sentido, um alto sentimento patriotico. Minha patria é a lingua portugueza. Nada me pesaria que invadissem ou tomassem Portugal, desde que não me incommodassem pessoalmente, Mas odeio, com odio verdadeiro, com o unico odio que sinto, não quem escreve mal portuguez, não quem não sabe syntaxe, não quem escreve em orthographia simplificada, mas a pagina mal escripta, como pessoa propria, a syntaxe errada, como gente em que se bata, a orthographia sem ipsilon, como escarro directo que me enoja independentemente de quem o cuspisse.

Depois deste texto magistral não é preciso acrescentar nada, ou será?

Nota: Este extracto da “A minha Pátria é a Língua Portuguesa” foi retirado daqui:.

2 comentários:

  1. Nadinha. Embora tenhamos mudado o ortografia desde então...

    Beijos, tio. :)

    ResponderEliminar
  2. :-) Mas esta última mudança partiu a louça toda.
    Beijos

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio