quinta-feira, 4 de julho de 2013

Carta à mamã



Lisboa, 2 de Julho do Ano da Graça de Nosso Senhor Jesus Cristo de 2013

Querida Mãezinha,
Espero que esta a vá encontrar de boa saúde e na companhia daqueles que estima. Eu por cá vou andando, nas feiras e por todo o mundo, a espalhar a fé com a alegria e a energia que nosso Senhor que generosamente continuar a dar-me. Salto de país para país com a mesma alegria e força de quando espetava farpas a toda a gente naquele famoso jornal, sucesso de vendas cujo nome está agora num excelente Hostel (o restaurante é óptimo, não deixe de lá ir), lá para os lados do jardim de S. Pedro de Alcântara (só de pronunciar este nome tenho calafrios).

Tem esta minha missiva o fim de lhe dizer que vou saltar pela borda fora. Tenho um pretexto, que Deus me perdoe, o da nomeação da tal com nome de homem, mas a verdade é que não consigo acabar aquele trabalho de casa da reforma. Ora, se ainda fosse um trabalho sobre a Reforma e contra-reforma do séc XVI, eu até fazia. Afinal foi um movimento que muita gente quis e desejou e que apenas uns reaccionários boicotaram (aqueles bávaros, nunca foram de fiar), abalou o mundo ocidental e provocou o cisma que todos conhecemos, com as implicações benéficas para todos nós.

Agora esta reforma do estado, que ninguém quer e só ia tirar apoiantes para a minha causa? Não. Não contem comigo para isso. Este trabalho de casa foi um presente envenenado que recebi mas que devolvo (e digo devolver com o sentido que habitualmente lhe damos) a quem mo ofereceu. Toma, lá que já aprendeste!

Mas contrariamente à alegria inicial que senti, fiquei triste. Não queria fazer mal ao outro menino! E acabei por magoar tanta gente…Vou dizer que, se ele mudar, eu desculpo e fico na turma! Assim durmo mais descansado e com a confusão o trabalho de casa fica na gaveta. E ainda mostrei que tenho princípios…Não recuei: Mudei de sentido, com dignidade e sentido de estrelato.

Um beijinho carinhoso do seu filho que muito a estima,


4 comentários:

  1. Uma carta que a mamã dispensava, na certa apesar do seu desmedido amor.

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois até podia dispensar...Mas ele é que teve que escrever ;-)
      Bjs

      Eliminar
  2. rrrss

    Bem diz a mamã que o seu filho deve estar a pagar todos os pecados da família.

    Boa tarde

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio