terça-feira, 26 de março de 2013

Dom Vaidosotte, o regressado



M. Vaidossotte, mais oui, avec le double tt, vai regressar à ribalta. Cheio de saudades de agarrar o microfone e de se pavonear pela Lisboa do Passeio Público, qual personagem queirosiana retirada a ferros da Cidade e as Serras, tinha que regressar.

Imbuídos do espírito sebastianista que há séculos nos persegue, há alguns, que por engano se acham portugueses e se regozijam com o regresso, triunfal, do mestre do engano e da ocultação. Outros também se manifestam contra, em causas, correntes e demais ferramentas que a era digital nos trouxe. 

Evidente que me apetece, e quero, estar entre os últimos, os ultrajados por uma classe política dividida entre o partido A e o partido B que já dividiram o bolo, raparam o tacho mas continuam agarrados à manjedoura a dividir as migalhas…E nós os eternos ultrajados, sempre taxados, continuamos a assistir a estes desaforos dos mesmos tachados.

Acredito que este circo um dia acabará, e talvez quem nos governe ganhe vergonha na cara, exerça o poder quando deve exercer, sem se esconder atrás da existência de Observatórios, pareceres técnicos, entidades reguladores e demais tachos, que surgem, como qualquer cogumelo mágico, na altura em que outras taxas têm que ser aplicadas. Até lá, o M. Vaidosotte e outros tantos como ele, fazem parte do circo que nós pagámos, pagamos e continuaremos a pagar. Felizmente não somos obrigados a assistir. Basta pagar.

Deve ser isto a que chamam serviço público, mas como quem torna públicos os vícios e havendo virtudes, as esconde… Haverá melhor maneira de esconder alguma coisa do que mostrá-la a toda a gente?

Há ainda uma minoria, com graça, que acha que o M. Vaidosotte se devia agarrar ao microfone no dia das mentiras. Não me parece bem, pois podia ainda ter alguma graça e este assunto não é para rir. 

Haverá alguém que mande aqui? Não parece. Tudo leva a crer que o Pinóquio é que comanda o Gepetto e os macacos tomaram conta do Jardim Zoológico...

Que ferro, Jacinto de Vaidosotte!

2 comentários:

  1. Ainda teremos de descer mais, até ao ponto do desespero completo e generalizado, para partirmos para a mudança efectiva de governo, correndo de vez com Vaidosottes, Coelhottes e afins. Abraço!

    ResponderEliminar
  2. Temos mesmo que bater no fundo e fazer um rombo no casco...

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio