sábado, 7 de abril de 2012

Vizinhos com sono leve


Conheço pouco os meus vizinhos. Não me refiro à blogosfera, mas à realidade de uma cidade pequena. Não tenho nenhum bar por perto, nem as ruas onde vou morando em part-time têm grande vida nocturna. Estarão a pensar que tenho que a procurar longe, é verdade. E será melhor…

Há dias batem-me à porta pelas 4h30 da manhã. Até me tinha deitado relativamente cedo, para os meus padrões e hábitos de fim-de-semana, mesmo que fora dos dias habituais. Não havia música alta, nem cheirava a queimado (já me aconteceu). Também não via fumo. Aliás, acho que não via nada, aquela hora da manhã, até que abri a porta e dei de caras com um tipo de roupão (à pressa também lá tinha conseguido desencantar um que consegui vestir no percurso).

Disse-me que era o vizinho de baixo e não conseguia dormir. Um alarme soou na minha cabeça, mas felizmente contive-me até às explicações. Enquanto pensava na minha casinha junto ao mar, sem vizinhos por baixo, lá fui ouvindo o que me dizia do barulho que, segundo ele, começou quando eu tinha chegado a casa, cerca das duas da manhã.

Pensei no pior, vai-me dizer que é algum barulho em que o ritmo aumenta, ao mesmo tempo que a intensidade e depois pára, recomeçando algum tempo depois, mas não. Nada disso. Era uma porta que rangia e batia. Apesar de levemente, batia e não parava! E ele não conseguia dormir. Foi esta a explicação que me deu…

Felizmente no caminho para a porta da rua, ainda ensonado ouvi uma porta a bater muito levemente e a ranger, ao abrir e fechar, com a brisa. A janela tinha ficado aberta, como é costume, mas havia vento. Por isso fui fechá-la, antes de abrir a porta…

Desculpe mas não estou a ouvir nada, deve ter sido no apartamento debaixo do seu disse-lhe, enquanto fiquei com a certeza que ele pensava que o ranger era de outra coisa…

Acho que não o vou reconhecer se algum dia o encontrar no elevador e espero que ele também não.

12 comentários:

  1. Eu também conheço poucos vizinhos do meu prédio, e os que conheço, só vejo, (infelizmente...:)) ocasionalmente... mas nunca nenhum me acordou a essas horas!! Eu sei que estou senil e disléxica... mas se quem te bateu à porta, foi o vinho de baixo, se fosse branco maduro fresquinho, eu até nem me queixava, rrrsssssssss Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Se fosse uma vizinha e não um vizinho, este post nunca teria sido escrito...
      Bjs

      Eliminar
    2. Eva, o tio não confirmou nem desmentiu a tua dislexia nem senilidade :)))) estranho, não???
      Penso que ele usou expressamente a palavra "vinho" porque ele pensava que o vizinho de baixo estaria bem bebido para ouvir barulhos inexistentes, o que não era verdade :)))
      É isso Tio???

      Beijo a ambos.

      Eliminar
    3. LOOOOL! Binhu, filas de binhus bater á porta da Eva...(se soubessem onde ele mora...)

      Eliminar
  2. AhAhAhAh! E como resultou ele ter ido chateá-lo, ficou com a certeza de qual era a causa do ranger.
    Boa Páscoa!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Pois foi...
      Ele pelo menos ficou a saber quem eu era. Eu é que não sei que ele é...
      Páscoa Feliz!

      Eliminar
  3. Alta performance [a dessa janela]... 2 horas e meia a ranger...
    hehehehe
    Eu já fui por mais do que uma vez bater à porta dos vízinhos por causa do barulho. Uma vez foi por causa de música alta. Passava da meia noite e os putos do apartamento ao lado apanharam-se com os pais fora de casa e fizeram uma festarola - os putos pediram desculpa e baixaram o som; outra vez foi o vizinho de baixo que adormeceu com a televisão ligada. Já não me lembro qual o programa mas era algo que à uma e meia da manhã fazia um basqueiro do caraças - veio abrir a porta ensonado, só entendeu o que eu lhe estava a dizer à 3ª vez, grunhiu qualquer coisa e foi desligar a televisão; a terceira correu pior, porque eram pai e filha que estavam a discutir de forma tão "educada" que eu tive de ir fechar o meu filho no quarto dele e com a musica alta para ele não ouvir tanto impropério - quando me enchi de coragem e lhes fui tocar à campainha, ouvi de lá de dentro mandarem-me fazer uma coisa que eu gosto muito de fazer mas não precisam de me mandar e ainda insultaram a minha mãezinha. (Felizmente aquele tipo de gente não durou no prédio muito tempo)


    Beijinhos e bons sonos :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Até para os vizinhos é preciso ter sorte...Neste caso a parte mais divertida foi dizer, e é verdade, que não me estava a incomodar o barulho, porque nem o ouvia...

      Eliminar
  4. Pois, são coisas que acontecem a todos :)))
    Felizmente os meus vizinhos são ambos GNRs e estão a vários metros da minha casa, contudo um deles, o Guarda Lamas (leia junto, é giro) de vez em quando anda aos tiros aos melros e sei lá a que mais :)) Mas nunca de noite, não, de noite é o cão dele que não me permite uma só janela aberta.
    Houve um tempo, antes do cão, que dormitava nas noites quentes de Verão a ouvir os ralos e os grilos e garanto-lhe que até ouvia a relva a crescer ... delícia.

    Beijo

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Apesar de não ter essa sorte também não me posso queixar...Já dos vinhos em hotéis podia escrever um livro...
      Bjs

      Eliminar
  5. Não estarias a ter um "daqueles" sonhos e a cama rangia desesperadamente?? :P **

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio