quarta-feira, 3 de dezembro de 2008

Gostos e vícios

Habitualmente atribuimos à palavra vício uma conotação negativa.

Contrariamente aos gostos, que assumem muitos significados, os vícios têm sempre associada essa carga negativa de quase escravidão, perca de liberdade, falta de vontade, de capacidade de escolha, de liberdade...

A sociedade vai-se encarregando de os catalogar, com umas etiquetazinhas, às vezes nada simpáticas. O último a ser banido e a ser colocado no socialmente incorrecto foi o tabaco. Felizmente não consumo, há quase um ano, pois não gostava de me ver com essa etiqueta ao pescoço.


Há uma, contudo, que não me importo de usar. Sei que não sou o único, por isso aqui vai.

Ainda estão a analisar e a descobrir propriedades dessa substância, que serve para muitas mais coisas do que inicialmente (ou os iniciados) poderiam imaginar.

Sabe bem, com companhia ainda melhor. Pode ser gelado ou quente, derretido ou sólido, branco ou negro, não importa. Sabe sempre bem.

Passion drug, foi um dos nomes usados num simpático mail publicitário que recebi hoje. E que tal esta descrição: "Witty, glamorous, seductive, or simply over the top"...

Já viram que a etiqueta que não me importaria de usar era chocolatífero...

Chocolicious, também não está nada mal.


As imagens são absolutamente irresistíveis, como podem ver no site da Stockfood.


Em próximos posts vão algumas receitas ou utilizações mais interessantes, goste-se muito ou muitíssimo...

Sem comentários:

Enviar um comentário

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio