sábado, 28 de março de 2015

O milagre dos euros



Ia caminhando, discretamente, com os cofres cheios, no seu passeio semanal da terra dos pobres até à dos ricos e regresso. Supostamente tirava dinheiro aos ricos, que habitavam na terra dos pobres, para dar aos pobres, que também moravam na mesma terra. As más-línguas diziam que, na realidade, tirava dinheiro aos pobres para dar aos ricos do reino dos pobres, mas essa é outra história.

Um dia, o rei daquele povo, desconfiado com tantas idas à terra dos ricos para pedir dinheiro, já que o tirava aos ricos do país pobre não chegava para as necessidades do reino, perguntou-lhe o que levava naqueles cofres tão pesados.

A rainha que já era conhecida como santa luís, pelos milagres da multiplicação que teve que fazer depois do rei mago, gaspar dois, ter abandonado o reino, ficou atrapalhada. Na verdade talvez os cofres não estivessem tão cheios como dizia mas, se os tivesse muito cheios o rei poderia ficar incomodado, já que os protestos dos pobres do reino dos pobres se avolumavam, como também se avolumava o número de pobres no reino…

Sem hipótese de outra solução, tentou a fuga para a frente, ao bom estilo socretino – que, como sabemos, acabou no Alto Alentejo, num convento especial. Assim, calmamente, disse ao rei: Meu senhor, estes cofres estão vazios, vou agora à Germânia, ver se consigo arrecadar uns milhões. Vejo um horizonte 20 cheio de dinheiro, nessas promissoras terras dos ricos e quero trazer os cofres cheios, para o nosso povo que passa fome.

O rei, desconfiado, pois já tinha ouvido o rumor de que os cofres estariam cheios, pediu-lhe que os abrisse. Sem outra possibilidade, a rainha luís, olhou em direcção ao leste e abriu-os mesmo. Para surpresa dela, os cofres estavam mesmo vazios! Em segredo pediu-lhe desculpa pela desconfiança e continuou o seu caminho. A rainha luís, desde essa altura, ficou conhecida como a santa do milagre dos euros.

E os cofres? Estavam mesmo vazios! Mais tarde veio-se a descobrir que tinham um buraco no fundo. Por mais que tirasse aos ricos e aos pobres o dinheiro nunca chegava para as necessidades do reino. Por isso, em verdade vos digo: Mais vale um cofre sem buracos que uma rainha milagreira e um rei desconfiado.

4 comentários:

  1. Quem mandasse a rainha , o rei, mais o séquito todo para o raio que os partisse!!!!

    Beijo, Tio. :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria, O séquito todo! Os aviões que trariam os chineses às paletes, levavam o séquito aos molhos!!!
      Beijo, Maria

      Eliminar
  2. Um reino no qual infelizmente tenho o desprazer de viver.
    Seria bom que fosse só um conto, embora muito bem escrito.

    um beijinho

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Eu também tenho esse desprazer, Fê! O que nos vale são as pequenas, às vezes grandes, coisas que não dependem nada destes regentes...
      Beijinho do Tio

      Eliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio