sexta-feira, 27 de março de 2015

A lista, o rol, os vipes e os vapes



Temos sido confrontados com a história da lista VIP, onde se supõe que seria uma relação de portugueses, ou residentes em Portugal, supostamente importantes para terem uma atenção especial do fisco, a AT para os connoisseurs. Ora nada mais errado, como se veio a saber ontem!

Não é uma lista, é grupo que poderia partilhar um táxi - e nem sequer em Paris – que junta quatro pessoas da hierarquia do estado. Como já se identificaram as pessoas que poderiam seguir no táxi, sabe-se que, afinal, deveriam ser os primeiros a dar o exemplo. Argumentarão, eventualmente, que não sabiam fazer parte dessa relação de alegados privilegiados… Pessoalmente, não acredito que o inventor deste mecanismo de protecção dos listados tenha resistido a dizer-lhes, mas enfim, cada um acredita no que quer. Voltemos nós à dita cuja relação que tanto tem dado que falar. Argumentam que o nome vip surgiu pela falta de imaginação para encontrar um nome mais adequado. Ora que argumento mais infantil! Bastaria um email para o Tio que teria arranjado um nome mais interessante. Em vez de VIP, como dizem no Porto: ICC , Importantes Como o Carago!

Se era para ficarem pelos quatro nomes, um testemunho singelo da pequenez do nosso país, poderiam também ter abandonado o termo ”lista”. Cesto ou corbeille,  para dar um ar mais in, poderia ser uma opção. No entanto para um nome mais ajustado à dimensão do grupo, o ideal seria Rol VAP, o Rol da Vergonha, À Portuguesa!

2 comentários:

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio