quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

Cartes de Prisón 2



Caro Zé,
Com dificuldade mas conseguimos suster a fuga de malta que te queria visitar no Sábado. Sei que tu compreendes que este sacrifício é para bem do Partido e da Grande Nação Socialista… Como sabes temos que conquistar o poder outra vez, para termos uma vida melhor para todas as portuguesas, para todos os portugueses e também para todos os que são portugueses e portuguesas ao mesmo tempo. Sabes também, como bom socialista que és (tenho saudades de ir contigo socializar para Saville Row – o Natal está à porta, e é sempre bom ter umas coisinhas novas para estrear), que temos que ganhar as eleições e para isso precisamos de todas, de todos e todos e todas que são todas e todos! Depois disso tudo voltará ao mesmo. Estou farto destes fatinhos BOSS de 1500 euros, toda a gente tem igual!

Como te dizia, conseguimos suster a fuga maciça do congresso – e evitar os congestionamentos à porta da tua nova casa. Garanti-lhes – desculpa a frontalidade, mas tu compreendes – que iriam ter tempo para te ir visitar! Estavam com medo que te viesses embora e não te terem ido visitar e depois ficarem mal vistos, percebes? Olha por falar em percebes, Que tal achaste os Ovos de Codorniz com Paio? Não deixes de provar o Cação de Coentrada…Esse Fialho é um must!

Temos que adiar a homenagem que te queremos fazer - foram dar o nome daquela Avenida em Almada ao tio Mário, já não vai dar o que tinha pensado, mas tive outra ideia (sim, minha!).

Poderíamos, em vez do aeroporto no Montijo, fazer um novo em Évora. Beja já tem um, os nabos deixaram perder o único voo que tiveram, mas em Évora, era uma maravilha, perto de tudo! E, coincidência brutal, tem lá uns tipos que fazem aviões e uma escola para outros que os querem pilotar! É verdade que já há autoestrada para Lisboa, para o Algarve e para Espanha e a linha de caminho-de-ferro até está boa, mas podia fazer-se um TGV para a Estação do Oriente (ainda estão lá as infraestruturas que mandaste fazer). Mas, o mais importante era dar ao Aeroporto o teu nome! Se deram ao do Porto o nome do Francisco Sá Carneiro que morreu num acidente de aviação (sim, mantemos o acidente, como versão oficial), muito mais correcto seria dar o teu nome a um aeroporto. Por muitas razões, não só por teres sido detido na Portela – por falar nisso, safaste-te da taxa turística – mas porque voar representa liberdade, aquilo de que agora estás, indecentemente, privado. Era uma chapada de luva de boxe (qual luva branca, qual carapuça), nas trombas desses meninos bonitos da direita pseudo liberal. São todos um cup-cakes, uns milk shakes!

Tenho que ir que me estão a chamar. Boa sorte com os pedidos das refeições e tem cuidado com os vizinhos. Força, Zé. Estamos todos contigo.

Unidos em Marx e na Louis Vuitton, recebe um abraço do teu camarada de sempre,

António

Nota do Tio: Recebi este original, enviado de forma anónima, com pedido de publicação. Naturalmente acedi, sem reservas.

2 comentários:

  1. Bonita carta, sem dúvida...mas:
    Palavras leva-as o vento, por isso constou-se-me de forma Expressa, neste dia Soleado, logo ao Romper do Renascer do dia, ou teria sido que li na Correspondência da Manhã, olha não sei onde foi, mas que ouvi ouvi, esta coisa de estar a fazer noventa anos perturba-me um pouco a forma de me expressar...dizia eu que o Tio António ficou preocupado porque se esqueceu de dizer ao Zé que virou as Costas à direita, ou seja fez um golpe de direção para a esquerda. Por causa disso o Chico Assistia a tudo e queria dizer que o percurso dele era mais Seguro mas teve que desistir e meteu a viola ao saco e rumou ao Porto, pois sabia que com tanta fome do poder que por ali anda ainda lhe comiam as tripas todas.
    Diz que disse, que queria saber qual é a opinião do Zé porque a viragem conduz à casa do persistente Jerónimo e termina num túnel confuso em que instalaram um Bloco. As vias alternativas são duvidosas porque os verdes são poucos e estão patenteados e a via Marinha tem Pintos que precisam de ser escrutinados, não venha por aí uma gripe aviária e a comissão Europeia mande proceder ao seu abate, é que ainda não se esqueceram daquela outra vez em que o Ramalho ganhou o concurso dos Produtos Regenerados e Diferentes com as suas melancias verdes por fora, vermelhas por dentro mas com sabor a melão...

    ResponderEliminar
  2. Um excelente resumo agrico-político! Afinal são todos uma data de nabos e no fim vão sobrar alguns melões, como dizes. Só é pena sermos nós a pagar estas actividades lúdicas tão caras!

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio