terça-feira, 6 de maio de 2014

E-pistola aos Filhos da Puta



Meus queridos Filhos da Puta,

Disse Orwell na sua Animal Farm que todos os animais eram iguais mas uns eram mais iguais que outros. Mais de sessenta anos depois, diz o povo que todos são iguais, mas uns são mais iguais que outros, referindo-se às pessoas. E assim nos tem ensinado a vida, desde sempre e daí estas minhas palavras. Sei que não me ledes, mas o tempo se encarregará de vos fazer chegar esta mensagem…E como também não estou certo que sereis capazes de compreender agora o que escrevo, o sermão seria preferível. Mas não posso chegar a todos …A verdade vem sempre ao de cima e a repetição é a forma mais simples de apreender, razão que também me levou a preferir a E-pístola, versão electrónica das tradicionais em papel. Gostava de vos olhar nos olhos enquanto vos falo, e dizer-vos na cara o que penso de vós, mas não posso chegar a todos ao mesmo tempo... Peço-vos assim, meus caros filhos da puta, que partilheis estas palavras com os vossos iguais. Aos que me lêem, e não o são – sei que não tenho nenhum leitor nesse grupo - peço, ainda mais encarecida e afincadamente, o grande favor de difundirem estas minhas palavras por todos quantos conheçam, sobretudo se estiverem perto dessa espécie a que hoje me dedico.

A facilidade de linguagem dos dias de hoje permite que se misturem, abusivamente, vários conceitos. Assim acontece convosco! O apodo que vos deixo e que não deve confundir-se, em caso algum, com os filhos das meretrizes, por quem tenho o maior respeito. Aliás, em rigor não há filhos de meretrizes, pois essa palavra caiu em desuso. E também, à semelhança de outros fenómenos que foram abolidos por decreto, a profissão foi proibida e assim deixou de existir. Também tenho por essas mulheres o maior respeito. Vidas difíceis, suportam muito mais do que merecem e podem, na maior parte dos casos. Mas esta E-pistola não é para elas. Os seus filhos, às vezes indesejados, eventualmente abandonados, por força ou necessidade, são, na maior parte das vezes, estimados, amados e mimados. Quantos inocentes desconhecerão a origem dos seus gadgets de último modelo e quantos sacrifícios fizeram as suas mães para lhos dar? Mas também não é para eles este sermão, nem para os filhos de outras mulheres também chamadas putas sem o serem, como muitas que trabalham em bares, strips, peepshows e outros locais da noite que andam à volta do sexo. Afinal o que não andará à volta do sexo?

Estas palavras também não são para filhos de outras mulheres, muitas vezes erradamente, chamadas putas, ou putas finas, quando na realidade se dedicam apenas a fazer companhia a homens – e mulheres, ou ambos – temporariamente sós ou com companhias pouco interessantes. E, por igual motivo, também não é para os filhos das trabalhadoras das linhas ditas eróticas, operadoras de telefone altamente especializadas, nem para os filhos das profissionais de outras formas de sexo virtual.

Hoje dirijo-me a vós, outros homens (e algumas mulheres também) que, erradamente são chamados filhos da puta. As vossas mães não têm culpa, nem sabem do epíteto que vos dão e, muitas vezes, até são umas santas (não confundir com a Santinha do Rabo de Saia), apenas educaram mal os filhos, ou não conseguiram educar melhor, já que eles eram tão maus que nem a melhor educação do mundo os faria melhores…

É a vos, falsos filhos das falsas putas a que me dirijo. E como sois falsos filhos de falsas putas, sois falsos por natureza! E, como falsos, não sois fiáveis, nem fidedignos. Não podemos confiar em vós, nem merecem crédito. A falsidade está na vossa essência e o engano no vosso modo de estar.
Visto desta perspectiva, parece de inteira justiça que estas duplamente falsas personalidades mereçam atenção redobrada! Os falsos-falsos filhos da puta, são os que estão habituados a subir na vida pondo-se em cima dos outros. Colocam-se em cima dos outros para os foder. Não como o missionário (very old-fashioned, by the way), ou como as ditas putas poderiam consentir, mas na perspectiva de os pisar, calcar ou arrasar para ficarem um bocado mais altos.
Puro engano, pois ao esmagar os outros, estais a enterrar-vos na miséria moral que tentais disfarçar com artigos de luxo, de preços exorbitantes e gosto duvidoso… Esses artigos, há quem diga supérfluos, são na realidade muito necessários para satisfazer os vossos egos deformados, para tapar as estaladelas no verniz que, colocado à pressão, dura muito pouco e estala facilmente.

Vós, alegados filhos da puta, sois os tipos que fazem a vida a tentar sacar o mais possível, esmagando os fracos para darem mais aos amigos, outros filhos de outras putas, pela mesma ordem de raciocínio... Os vossos amigos são de conveniência, claro está, pois nesse mundo oco, não há nada verdadeiro… Ao acabar a fonte de interesse ou o vil metal de algum negócio chorudo, acaba-se a amizade, começam outras novas amizades que duram enquanto o interesse se mantiver.

E estou cansado de vós, sejam mais educados ou menos educados, de gravatas menos feias ou mais feias, de discursos mais ou menos hipócritas, porque demagógicos serão sempre…E sois cada vez mais, meus não irmãos! Sois tantos, sois demais!

A terminar deixo-vos com uma reflexão. Diz o povo: Filho és pai serás! Não se esqueçam pois dos vossos filhos. Habituai-os bem, desde pequenos e, sobretudo, as vossas filhas. Acautelai para que, de filhas de filhos, não passem a mães dos ditos! Eles vão fazer-vos sentir o que de pior fizestes sentir aos outros.

Lembrai-vos sempre do primeiro mandamento: Amarás o dinheiro sobre todas as coisas!
Ide enquanto podeis.

9 comentários:

  1. Muito bem dito. Dia 4 foi o dia da mãe. Os outros dias são os dias do filho da mãe, ou da... ;)

    Mas é o que há mais neste mundo. Já me resignei a tal.

    ResponderEliminar
  2. Ó Tio, a que Bíblia é que foste buscar esta (e)pístola? Ou será pistola?

    Fogo!! Era melhor um canhão, assim acabavas com a tropa toda!

    Ó Zé, já te resignaste ? Fazes mal...a luta continua...

    Beijocas para os dois!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Janita:

      Kafka escreveu, na luta entre ti e o mundo, escolhe o mundo. Às vezes resigno-me...

      Eliminar
    2. Janita, é uma versão Tiológica do assunto ;-)
      bjs

      Eliminar
  3. Daniel:

    Deixa-te disso...Kafka era um tipo estranho que vivia obcecado com pesadelos!:) Era melhor que se tivesse escolhido a si mesmo, talvez não tivesse morrido do coração!!
    ;) Abração...

    Tio

    Bota tiologia nesse assunto...teo...é que não é:-))

    Beijos.

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. ...e eu não sei?? Cada qual é para o que nasce!

      :)

      :

      Eliminar
    2. O Kafka esclarece confundido-se e confundido...

      Eliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio