sexta-feira, 15 de fevereiro de 2013

Carta ao Tio Joaquim Guarda



Caro Tio Joaquim Guarda,
Espero que esta carta o vá encontrar na melhor saúde e na guarda de nosso senhor, amigo e protector, o pretor Poncius Cavacus, que nos guarda e protege a todos. Nós por cá também vamos andando, mas um pouco menos guardados, agora que a minha careca foi exposta ao vento invernoso da comunicação social e dessa corja comunista que não deixa escapar nada e, pior ainda, tem memória de elefante (será por serem tão trombudos?).

Ora parece pleonástica esta minha insistência no primeiro parágrafo, na palavra guarda, mas não é, como sabe. Sei que o nome de meu querido tio protector, que os deuses o guardem, não é guarda, mas sim de outra grande cidade portuguesa, onde também faz um frio horrível no inverno e é muito quente no verão, tipo sibéria misturada com cabo verde, onde o nosso amigo comum se tem desenrascado em mais negócios, mas muito melhores que o de Porto Rico! Pois Tio, não se chama Guarda, mas devia chamar! O Tio é que me guarda a mim, e nos guarda a todos, contrariamente a esse malandreco do Tio do Algarve que passa a vida em festas, só pensa em Tango, e anda sempre a dar-me tanga!

Ainda me lembro quando me recomendou para a Sociedade Loira das Negociatas, que bons tempos! E dava para todos, laranjas, rosas, era um arco íris…Renunciei a tempo, bico calado, mas saí… E eis que o Tio se lembra de me recomendar para secretário do espartalhismo! Que bom! Mas logo haviam de vir esses vermelhos a pôr-me a vida ao sol e o mósse marafado do algarvio a gozar o prato! Que os deuses de bastão em punho e avental branco nos guardem desses demónios! O Tio Quim também lhes deu uma tanga com aquela do BI. Foi de mestre disser que era o Bilhete de Identidade! Que estalada de luva branca (comprei umas novas que me ficam muito bem, modéstia à parte)… Fartei-me de rir e estive calado, mas apeteceu-me dizer a toda a gente, com orgulho, que era o meu Tio da Guarda a ali na comissão! Fui discreto e o Tio não se esqueceu de mim! O Conde de Massamá ficou bem servido, até me veio defender desses cães comunistas, que espiolham tudo!

Olhe Tio, espero poder ir aí para a Beira Alta na sexta-feira (assim aproveito as ajudas de custo, motorista e essas mordomias todas). Haverá alguma coisa para inaugurar? Recomende-me umas empresas de vinho para visitar, que fica sempre bem.

O seu sobrinho dedicado,

Franquelim D. Acomodado



Nota do Tio (o verdadeiro): Esta missiva veio parar-me às mãos e não resisti a publicar….
 

8 comentários:

  1. Há Tios e Tios.. Para além de inúmeros sobrinhos e afilhados que nos levam à desgraça... Ainda bem que há um, pelo menos, um Tio que escapa! :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Malena, Este é um país de afilhados, padrinhos e sobrinhos!
      Ufff, ainda bem que não estou nesse rol! ;-)

      Eliminar
  2. Eu sou Tia, uma verdadeira Tia mas de sobrinhos parentais:)Até tenho sobrinhos netos! Escapo do rol...ufa!
    Abracinho meu!

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Maria Teresa, não tenho dúvidas. A Maria Teresa é A (sublinhado) Tia!
      Beijos do Tio há bastante tempo, embora verdadeiro só o seja há muito pouco...)

      Eliminar
  3. Há os anjos da guarda e os tios da guarda.

    ResponderEliminar

Hmmm! Let's look at the trailer...

Siga o Tio pelo e-milio